Uma reforma guiada pelo afeto | Capítulo 2

Escolhas sustentáveis e o reaproveitamento de peças ditaram a obra desse apê antigo

Assim que pensou na possibilidade de ter um apartamento para chamar de seu, a designer de sustentabilidade Ana já sabia que seu futuro endereço precisaria estar em algum dos prédios antigos e charmosos que tanto admirava no centro de São Paulo. E sua escolha foi mesmo certeira: atualmente, seu lar conta com piso de tacos, janelas amplas e outros detalhes originais e preciosos, como o revestimento no chão da cozinha que se tornou um grande xodó da moradora e foi descoberto durante a reforma comandada pela MANA Arquitetura:

“No segundo dia de obra, recebi uma mensagem no celular com a foto de um pedaço do piso que haviam descoberto embaixo de dois revestimentos. A sensação era quase a de um arqueólogo descobrindo uma nova tumba no Egito: lembro que saí do escritório e vim direto para cá, mas como já era noite, não conseguia enxergar muito bem e usei a lanterna do celular para ver os detalhes. Era a coisa mais linda… chorei de emoção por ter algo original do apartamento e um trabalho artesanal que não se faz mais atualmente. No dia seguinte, lembro de voltar na obra toda empolgada para saber se conseguiríamos recuperar e fiquei muito feliz quando soube que sim”, conta a moradora. Com o ‘novo’ piso, foram necessárias algumas alterações no projeto, como redefinir parte da paleta de cores, mas não há dúvidas de que valeu a pena. Para Ana, até mesmo as marcas de desgaste nos azulejos têm sua poesia, pois são uma parte especial da história do apê.

Com a quarentena, Ana passou a ficar mais tempo na cozinha e aproveitar melhor tudo o que o espaço tem a oferecer: “Por uma questão de necessidade, descobri que sabia cozinhar e comecei a tomar gosto. Adoro quando uma receita fica boa de primeira e a cada dia vou descobrindo novas habilidades”, ela conta.

Através de uma porta de serralheria o cômodo se abre para a sala, enquanto do outro lado, perto da área de serviço, revela um pequeno terraço particular, onde Ana costuma fazer suas pausas durante o dia e admirar suas plantas, que estão sempre se multiplicando. Nesse cantinho, em meio às paredes pintadas em tom terroso, está mais um detalhe encantador e de reaproveitamento do projeto: um banco feito com os tacos originais da construção que, junto a algumas almofadas e uma luminária pendente garimpada por uma amiga, acabou criando um espaço bem aconchegante com clima marroquino.

Na área íntima, a reforma criou uma suíte charmosa com acesso ao terraço dos fundos. No quarto, Ana bolou uma decoração garimpada com a cama que já tinha e uma cabeceira antiga que é um verdadeiro tesouro. “A mesa lateral e a poltrona são heranças da minha avó e as outras mesinhas eram antigas e eu mesma pintei seus pés. O tapete eu trouxe na mala de uma viagem que fiz para o Peru: comprei sem saber onde iria colocar e ficou perfeito no meu quarto”, ela lembra. Por todos os espaços, é possível perceber o gosto da moradora pela mistura entre móveis clássicos, acabamentos rústicos e peças contemporâneas.

“Acredito que a casa é um reflexo de quem somos, então queria que a minha tivesse uma energia positiva, que preservasse valores ancestrais, uma história e um espaço de acolhimento. Tentamos imprimir alguns dos meus valores na casa e acho que deu certo”, se orgulha Ana.

Texto por Yasmin Toledo | Fotos por Maura Mello

onde encontrar

peças inspiradas nessa história

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 14

  1. Que matéria mais amorosa. O apartamento é lindo e a decoração transmite muito aconchego e lembranças. Parabéns! Linda matéria!

    Responder
  2. Histórias de casa sempre arrasando na curadoria! Amo o conteúdo do blog, comento pouco, mas acompanho o trabalho de vocês desde o comecinho, na verdade até antes, com o blog na revista Glamour! Apê lindo e aconchegante! Pena que não tem fotos do banheiro da suíte e da lavanderia, são ambientes que eu adoro ver as soluções e escolhas! Vocês sabem dizer de onde são as luminárias presentes nos banheiros e no terraço?

    Responder
    • Oi, tudo bem??
      Uau!! Você é uma leitora das antigas mesmo, hein? Hehe. Ficamos super felizes que nos acompanhe há tanto tempo, que orgulho! 🙂 Obrigada mesmo pelo carinho.
      Realmente não fotografamos o banheiro da suíte (era meio apertadinho e sem recuo) e a área de serviço estava inacabada ainda rs.
      Sobre as luminárias, elas são da marca Reka: http://reka.com.br/
      Beijos!! <3

      Responder
  3. Ficou lindo! Vocês sabem dizer mais sobre este banco da cozinha (verde e estofado)? Faço uma pesquisa sobre a história da cozinha em São Paulo e me ajudaria saber se ele foi adquirido em antiquário. Obrigada

    Responder
  4. Qual o material da bancada da cozinha? 🙂

    Responder
    • Oi! É cimento queimado branco. Legal, né?
      É um material poroso, então precisa de resina para funcionar. Mas ainda assim é suscetível a manchas ao longo do tempo. Como o cimento queimado comum.
      Bjs

      Responder
  5. Que lar mais aconchegante! ❤️

    Responder
  6. Que maravilhosa essa casa!!! Desde a escolha dos mobiliários, objetos naturais , e a escolha do branco nas paredes trouxeram muita leveza. Amei!!!

    Responder
    • Ficou realmente incrível esse projeto.
      E o mais legal é que a reforma foi feita com muito carinho e com ideias sustentáveis. 🙂

      Responder
  7. Que apartamento lindo, luminoso, de muito bom gosto na arrumação de móveis e objetos! Aconchegante, com bela mistura e muita harmonia! Amei!!!

    Responder
  8. Que encanto de apê!❤️

    Responder