O mundo inteiro numa casa só | Capítulo 2

Muitas memórias de viagem compõem a decoração colorida desse apê

Em uma casa onde os moradores são apaixonados por culinária e não abrem mão de ter um espaço gostoso para saborear suas receitas, é claro que não poderia faltar uma sala de jantar convidativa e aconchegante. É por isso que, assim que encontraram o apartamento perfeito para receber sua família, no bairro de Pinheiros, a cozinheira Izadora e o escritor Marcus puseram abaixo as paredes de um antigo quarto para integrá-lo à sala de estar e abrigar a mesa de refeições. Ali, os dois almoçam com o pequeno Antônio, de 8 anos, todos os dias, aproveitando a vantagem de morar tão próximo ao trabalho – que, aliás, também tem a ver com comida, já que o casal comanda o restaurante Isla Café.

Mas se engana quem pensa que o cômodo serve apenas para as refeições de rotina: “A sala de jantar é também nosso bar. Um lugar onde recebemos os amigos e acomodamos as comidas da Izadora em dias de recepção”, contam os moradores, que são animados e gostam de ter pessoas queridas por perto. Para organizar bem todas as atividades, eles possuem um aparador, um bar antigo de madeira que é herança de família e – por último, mas não menos importante – uma vitrola com a função de agitar a festa, que acaba se espalhando por todo o espaço aberto na sala.

Para entender as referências e a rotina na casa de Izadora e de Marcus, vale também ter em mente que o restaurante fundado pelo casal funciona como um segundo lar. “O Isla Café é definitivamente um anexo do nosso apê ou vice-versa. Quem conhece os dois lugares consegue captar o que estou falando. Como passamos muito tempo trabalhando, criamos um ambiente que funciona também como lar. É lá que o Antônio passa a tarde brincando e, como a maior parte do Isla é aberta, costumamos dizer que ele é nosso jardim”, Marcus diz.

Inspirada por viagens, natureza e pelas raízes dos moradores, a casa acaba refletindo vários estilos de uma só vez, criando uma harmonia própria e bem pessoal. Móveis antigos se misturam com objetos de clima zen, estampas étnicas, lembranças de viagem, plantas e referências ao mar, como o remo na sala de jantar e uma fotografia solar tirada por Marcus.

Como Antônio tem 8 anos e muita energia, todos os lugares da casa são liberados para a diversão, mas é em seu quarto que seus brinquedos ficam expostos. No cômodo, a parede de lousa foi um pedido dele mesmo para a decoração e todo o clima lúdico e espaço livre contribuem para incentivá-lo a interagir: “Tentamos ao máximo fazer com que ele brinque com seus brinquedos ao invés de telas”, contam Izadora e Marcus. Um vestígio de toda essa liberdade para se expressar em casa está nas paredes do lavabo, que receberam uma intervenção: “Pura maluquice, eu e Antônio resolvemos nos divertir com tinta e esse foi o resultado!”, o escritor brinca.

Com tantos estímulos pelo lar, o quarto de Izadora e Marcus é onde o casal gosta de ficar mais tranquilo, por isso o visual tende a algo mais básico:  uma cor que acalma, muitos livros para as leituras antes de dormir e um quadro da bisavó da moradora para dar pessoalidade, afinal eles entendem bem a importância de conservar as lembranças: “Pregamos em paredes e subimos em tijolos uma espécie de extensão física de nossa memória. Pois estejamos ou não conscientes disso, um lar só é um lar porque ele desfoca a tênue linha que tentamos traçar entre quem somos e onde estamos”. 

Fotos por Felco

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 5

  1. Adorei!

    Responder
  2. Que cor é essa na parede da cama? Linda!

    Responder
  3. Adorei! Parecida com minha casa!

    Responder