Quem entra no apartamento da corretora de imóveis Kitty consegue entender sua personalidade logo de cara. Isso porque cada detalhe é um reflexo de como interpreta e vive a vida – inclusive na cozinha. Como possui ascendentes italianos e cresceu em uma família árabe, ela conta que ali o centro das atenções é a comida. Mesmo não se considerando a melhor cozinheira, ela curte usar o cômodo para preparar alguns pratos. “Faço uma salada grega deliciosa e gosto de cozinhar alimentos relacionados à medicina ayurvédica, que aprendi em cursos. Me formei terapeuta ayurvédica no Brasil e fui para a Índia estudar também”, ela compartilha. Já que a cozinha não possui armários e o apê é alugado, muitos utensílios ficam pendurados na parede da bancada, facilitando o uso e dando um charme a mais na decoração.

Tempos atrás, a moradora se considerava bastante festeira e costumava receber mais gente em casa, mas hoje prefere convidar apenas os amigos próximos, com quem tem intimidade. “Considero meu lar um templo sagrado, por isso me sinto bem recebendo pessoas com as quais tenho uma conexão mais profunda”, conta. Com os amigos por perto, os comes e bebes são sempre uma atração e o papo é animado. Já para acomodar sua mãe ou as visitas de fora de São Paulo, Kitty possui um quarto de hóspedes, que usa também para se vestir no dia a dia, como um closet.

A decoração do cômodo é como uma volta no tempo, com móveis vintage de madeira: “Uma amiga estava vendendo essa cama que era do avô dela e se lembrou de mim porque sabe que gosto de mobiliário antigo. Conheço e convivo bastante com sua família, então além de ter amado adquiri-la, fiquei feliz por saber a origem e história da peça”, ela fala. Já no quarto principal, além da cama, Kitty quis ter outra possibilidade para se deitar e assistir a seus filmes e séries, por isso uma rede de balanço compõe o espaço, realçando o clima tranquilo dali.


Recentemente, a corretora teve ajuda de sua amiga Clô Azevedo para repensar o ambiente de dormir: “Ela faz um trabalho que chama de design afetivo e auxilia pessoas a organizar melhor os cômodos e desapegar de coisas que não têm mais utilidade”, diz Kitty. Em seu quarto, pequenos ajustes fizeram toda a diferença, como a escolha de um tom de verde para pintar a parede da cabeceira e a mudança de lugar do filtro dos sonhos, que agora recebe maior destaque. Por conta disso, Kitty considera o espaço muito mais vivo do que antes.

“É muito bom quando você chega e sente que a casa te abraça, te nutre e te restaura. Acho que meu apartamento reflete exatamente quem eu sou, tem a minha história e minha alma”, Kitty fala. Além de tudo, é ali que ela recebe as pessoas que mais ama, por isso não há melhor lugar para chamar de lar. 

Fotos por Leila Viegas