A paisagem verde era algo que o artista visual Yuri contemplava diariamente na antiga cobertura em que morava, perto do Parque Ibirapuera. “Era um alento aos olhos. Até que, como de costume, São Paulo não demorou muito para devorar o nosso horizonte com um esplêndido prédio de 23 andares”, lembra. Perder a vista insubstituível que existia ali causou um movimento de mudança na vida de Yuri. Na época, ainda casado, ele procurou por um novo lar que pudesse suprir a vontade de estar sempre conectado com um pouco de natureza. No meio desse processo, ele se separou e todos os planos começaram a mudar ainda mais. “Eu só queria mesmo era buscar um refúgio. Aquela típica sensação após um grande rompimento de tentar se enfiar embaixo da terra e esperar o tempo passar”. 

De certa forma, foi isso mesmo o que aconteceu. Yuri foi da cobertura para o andar abaixo do térreo, em um outro prédio no bairro de Sumarezinho. “Acredito que tenha sido simbólico, e de fato, me ajudou no processo”, conta. Quando ele visitou o apartamento pela primeira vez, já se apaixonou. A sala ampla é perfeita para receber os amigos, do jeito que o morador gosta. A cozinha em estilo americano contribui para o bate-papo e fica ao lado da claraboia que proporciona uma paisagem bem especial: “Ela traz para dentro da sala de estar algo melhor que o horizonte: o céu”. Mas o encanto final foi quando o morador chegou ao quarto e olhou pela janela, com vista para o jardim do prédio.  

Yuri não fez nenhuma reforma no apê, pois o espaço parecia pronto, apenas esperando por ele. Mas na hora de mobiliar, surgiu uma questão. A mudança do morador aconteceu em fevereiro de 2020, quando a pandemia ainda não era uma realidade no país. “Com o passar dos dias e o avanço da Covid-19 pelo mundo, me deparei com um questionamento: ‘Por qual motivo irei mobiliar esse apartamento inteiro?’”, ele lembra. A indagação surgiu porque Yuri considera a casa um espaço feito para encontros. Por isso, os ambientes sempre foram pensados para reunir pessoas queridas e comemorar. Dessa vez, o artista precisou desenvolver um outro olhar mais demorado e paciente para a decoração de seu lar. 

Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira

Sua profissão, com certeza, influencia a composição do apartamento. O trabalho com pintura e desenho há dez anos é apenas uma das facetas de Yuri, que experimenta a arte em parede e até na pele, já que atua também como tatuador. Para quem ficou curioso, seus projetos de pintura estão no site dele. Além disso, ele é formado em Design de Produto, o que abre ainda mais o leque criativo do artista. Seu ateliê, inclusive, ganhou um “braço” dentro de casa, o que o ajudou a estruturar a carreira e desenvolver ideias iniciais de projetos.

Tudo isso se reflete na decoração, que explora a combinação de cores vibrantes com peças minimalistas ou trabalhadas em madeira. A mesa de jantar é um dos xodós, e veio da Tanzânia junto com as banquetas no balcão da cozinha, produzidas por um artesão local.

O lugar para cozinhar também tem importância, já que Yuri ama ser anfitrião e convidar os amigos para jantares. “Um fato curioso é que apenas nesse ano, em Setembro, que consegui de fato usar todos os assentos da mesa. Fiquei muito feliz em conceber esse momento. Por conta do isolamento, esperei mais de um ano e meio para utilizar a casa como sonhei”, conta. Apesar de se considerar uma pessoa que ama festas, o momento de reclusão em casa fez o morador repensar a maneira de viver o lar. “Agora, eu tenho mais respeito pelo espaço energeticamente falando. Tenho focado em manter esse ambiente seguro, porque já vimos que é o nosso único refúgio em tempos de crise”. 

Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento com claraboia e decoração aconhegante com plantas e madeira
Apartamento acolhedor com plantas, cores neutras e claraboia

Outro espaço que é acolhedor por completo é o quarto do morador. Os tons claros refletem a luz gostosa que entra pela janela e ainda destacam um certo tesouro para o morador, que é encantado pela goiabeira e pelas bananeiras do jardim do prédio. “Só quem mora aqui sabe: pode-se escutar os pássaros cantarem durante todo o dia… isso não tem preço”, conta.  

Em um ambiente gostoso e criativo como esse, as inspirações vêm de todos os cantos: das viagens feitas por Yuri, de seu próprio estilo de vida e da natureza, como as montanhas e as florestas. Porém, o que realmente torna esse apê totalmente original é a relação do morador com cada detalhe e possibilidade dos cômodos: “Acredito que esse seja o segredo para transformar uma casa num lar: criar um espaço onde você não sinta que precisa ir a lugar nenhum”.

Texto por Natália Pinheiro | Fotos por Leila Viegas