Com muitas paredes coloridas e plantas em todo canto, o apê da historiadora de arte Rafaela e do cientista político Matheus leva pra dentro de casa toda a alegria que é viver em um prédio com arquitetura de ninguém menos que Artacho Jurado. O casal mora no edifício Parque das Hortênsias, que é um marco modernista dos anos 50, com direito a pastilhas coloridas e muita área verde: “Nunca tinha entrado no Parque das Hortênsias, e, quando viemos ver o apartamento pela primeira vez, fiquei encantada com as pastilhas em tons pastel e com os jardins tropicais bem cuidados, que fazem a chegada em casa ter sempre um ar fresquinho de floresta”, Rafa conta.

O casal se conheceu em Londres, há quase 7 anos: na época, Matheus era doutorando e Rafaela começava os estudos de mestrado. Juntos, eles moraram em um apê com varanda para o Regents Canal e para o Victoria Park até o dia em que voltaram para o Brasil, em 2019. Até então, Matheus — que é gaúcho — ainda não conhecia São Paulo, mas ele logo se ambientou na região de Higienópolis e Santa Cecília, que a Rafa já adorava de outros tempos.

Quando se mudaram, o apê já estava em boas condições, então o casal só precisou dar uma pequena reformada nos armários e janelas e investir em um banho de cor nos espaços, com paredes coloridas, obras de arte, papel de parede e objetos especiais. “Para nós, é importante que as coisas tenham significado – nós amamos viajar, e já fomos para muitos países juntos. De cada um, gostamos de voltar com algo para a casa que nos traga um pouquinho da memória dos lugares que visitamos”, os moradores contam. Entre essas lembranças estão uma manta do Marrocos, um fantoche da Indonésia e diversas peças trazidas do apartamento de Londres.

Na quarentena, com a necessidade de ficar em casa, o casal, que tinha uma vida social agitada, concentrou esforços para deixar seu lar ainda mais aconchegante e também mais adequado para trabalhar. No home office, um papel de parede colorido da marca branco. papel de parede deu um ar divertido para o cômodo e inspirou os moradores a trocarem o sofá antigo por um mais confortável:

“Como os móveis são todos pretos ou brancos nesse ambiente, quisemos colocar uma estampa bem viva na parede para trazer mais dinamismo ao espaço. Além disso, a paleta de cores do papel Patch Listras Pastéis, da branco., combina com a fachada do prédio em frente, que tem as caixas d’água esculturais em azul e amarelo e as pastilhas cor-de-rosa. Achei que seria uma conversa divertida entre o exterior e o interior, sem falar que eu adoro padrões geométricos!”, conta Rafa.

Entre todas as novidades da quarentena, a mais especial tem muitos pelos e quatro patas: a cachorrinha Pagu foi adotada pelo casal e se transformou na melhor companhia em tempos tão estranhos. “Além de tudo, ter ela por aqui também nos ajudou a ter uma rotina de caminhadas diárias, o que se demonstrou muito saudável. Ela é a ternura em forma de cão, nunca vimos um serzinho tão doce e amoroso”, eles falam.

Para o casal, chegar em casa e ser recebido pela Pagu abanando o rabo trouxe ainda mais significado para o lar, que já guardava muitos momentos especiais: “Cozinhar só entre nós ou com os amigos; observar quadros, fotos e objetos que nos lembram das pessoas que amamos… o cheirinho de café vindo da cozinha de manhã junto com a luz intensa que entra pelas janelas, um livro com o balançar da rede no quarto…”, lembra o casal. Com tanto afeto na rotina e referências bacanas na decoração, o apê não poderia ser mais acolhedor.

Texto por Yasmin Toledo | Fotos por Leila Viegas