A ideia de ter um quintal para poder cultivar plantas, tomar sol e ter mais espaço para os gatos não demorou muito para convencer a empresária Maria Fernanda de que valia a pena reformar uma antiga casa de vila em Pinheiros. Para quem pensava em comprar um apartamento, descobrir essa casinha cheia de potencial foi como tirar a sorte grande – e a moradora não deixou a oportunidade escapar. Sob o comando do arquiteto Murilo Nogueira, do estúdio PARALELO, o sobrado passou por seis meses de quebra-quebra e foi como se tivesse nascido de novo: os ambientes se tornaram maiores, ganharam luminosidade e ficaram bem mais incríveis do que antes.

A casa traduz o jeito de Maria Fernanda em todas as escalas: na forma como os cômodos são distribuídos e usados no dia a dia; nos acabamentos claros e acolhedores; nos objetos interessantes que guardam histórias de sua vida e em cada quadro, livro ou móvel. “Eu gosto de simplicidade, sou tranquila, amo sol e espaços abertos, gosto muito mais do dia do que da noite… e acho que minha casa transmite tudo isso”, ela fala. Não por acaso, um de seus ambientes favoritos é o quintal dos fundos, criado depois que a antiga edícula foi demolida.

O piso branco e as paredes claras parecem amplificar o alcance do sol, criando o espaço perfeito para receber os amigos e curtir longos almoços. “Eu adoro receber em casa e cozinhar para os outros. Ou tomar sol ouvindo música no fim de semana. Estou louca para o fim do isolamento”, a moradora brinca. A mesa de mármore que serve de palco para esses encontros e comidinhas é uma das peças queridas de Maria Fernanda: “Já tenho ela comigo há alguns anos carregando de apartamento em apartamento. Agora parece que ela encontrou seu lugar!”.

Quanto o assunto é casa e decoração, Maria Fernanda conta que puxou alguns costumes de seu pai. Durante sua infância, eles passavam todos os fins de semana na praia fazendo churrasco no quintal, e hoje ela vê essas lembranças se repetirem em seu jardim. Seu pai também a influenciou no gosto pelos itens comprados em viagens. “Busco inspiração em viagens. Gosto da diversidade cultural que temos no mundo e trazendo um pouco disso para minha casa posso me lembrar de que não somos únicos”, ela diz.

A melhor palavra para definir o quarto da moradora é aconchego. Além de criar um ambiente espaçoso e bem iluminado, ela queria que a decoração tivesse uma cara meio natural, e os elementos em madeira contribuem para isso. O pé-direito alto e o teto com tesouras aparentes também são detalhes importantes no cômodo, porque trazem um clima gostoso de casa de praia. “Adoro essa sensação porque foi onde passei uma boa parte da minha infância”, Maria Fernanda lembra. No banheiro, a cereja do bolo é a banheira com vista para o quintal lá embaixo.

A mudança para a casa aconteceu pouco antes do início da quarentena, então Maria Fernanda tem vivido intensamente cada detalhe e cada momento. “Estou curtindo muito esse espaço. Eu adoro cozinhar e cuidar das plantas, e tomar café da manhã no solzinho lá fora já virou um hábito sagrado por aqui”, ela diz. Em pouco tempo, o sonho de transformar a antiga casinha de vila em um lar cheio de afetos se tornou real.

Fotos por Maura Mello