Como ter uma horta em casa

Tudo o que você precisa saber para começar a cultivar ervas e temperos em seu lar

Para quem gosta de cozinhar e comer alimentos frescos, ter uma horta em casa pode ser mais um incentivo na hora de preparar as refeições. Além de ser um charme na decoração, o cantinho dedicado ao cultivo de ervas e temperos não demanda tanto espaço e também não possui muitas especificidades. Na verdade, a única exigência física é bem simples: basta encontrar uma área de sua casa que receba sol direto por pelo menos 4 horas ao dia. Ainda assim, é importante manter os cuidados corretos desde o início para que as plantas cresçam fortes e saudáveis. Para descobrir como começar sua horta ou cuidar melhor das hortaliças que você já possui, vem conferir as dicas da geógrafa, jardinista e herborista Sabrina Jeha.

Apaixonada pelo conhecimento popular sobre as plantas e pelo uso de ervas medicinais e temperos frescos para melhorar a saúde e o bem-estar, Sabrina mantém o viveiro Sabor de Fazenda, em São Paulo. O espaço já possui 27 anos de existência e é um verdadeiro oásis em plena Vila Maria – bairro da Zona Norte da cidade. Quem visita o lugar encontra muitas ervas medicinais, plantas aromáticas, PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais) e mudas à venda. Além disso, o viveiro promove cursos, encontros e palestras sobre o tema. Com a pandemia, as atividades continuam acontecendo, mas de forma online, o que ampliou o alcance dos cursos até mesmo para fora do Brasil.

Como começar sua horta caseira:

  1. Em primeiro lugar, pense se você terá disponibilidade e tempo para cuidar de sua horta. Afinal, o cultivo de ervas, temperos e hortaliças demanda atenção e conexão.
  2. Sol pleno e direto durante pelo menos 4 horas diárias é uma necessidade da maior parte das ervas e hortaliças, então procure um local ensolarado da casa para montar a horta.
  3. Veja qual tipo de horta se adapta melhor às suas condições. Existem diversas possibilidades: plantio em vasos, jardineiras, canteiros e até paredes (em modelos verticais).
  4. Se você ainda não tem experiência, comece plantando mudas, ao invés de sementes, e escolha espécies versáteis e duradouras, como alecrim, manjericão, orégano e cebolinha. Se fizer questão de plantar sementes, comece com as de plantio direto, como salsinha e rúcula.
  5. Um dos pontos mais importantes é a rega, e para isso existe um truque: para saber se é hora de regar novamente, deixe um palito de madeira espetado na terra. No início da manhã e no final da tarde, tire o palito e observe: se ele estiver molhado, não precisa regar, se estiver seco, está liberado. Mas nunca regue no meio do dia, com o sol forte.
  6. Em uma horta, a adubação precisa ser constante e equilibrada. Forneça algum tipo de adubo orgânico uma vez por mês, como por exemplo húmus de minhoca ou farinha de cascas de ovo. O ideal é variar mensalmente o tipo de adubo.
  7. De maneira geral, as plantas comestíveis se beneficiam da colheita de seus ramos e de podas de limpeza periódicas. A planta entende essa prática como um estímulo para rebrotar com vigor e saúde.

Outros cuidados importantes:

Como preparar o solo para receber as mudas e/ou sementes?

Sabrina: Essa etapa é fundamental. Um substrato (terra de plantio) bem preparado e adubado de forma equilibrada é um dos principais segredos do sucesso da horta. Se o plantio for em vasos, escolha um substrato de qualidade, de preferência orgânico, e suplemente com algum tipo de adubo orgânico, como húmus de minhoca, torta de nim ou bokashi, e um pouco de areia para melhorar a drenagem do solo. Na Sabor de Fazenda, temos uma fórmula mágica que funciona super bem: para cada saco de 20kg de Biomix Orgânico (substrato para plantio), colocamos 200 g de torta de nim e 300g de bokashi. Sucesso garantido.

Caso vá plantar direto em canteiros, faça um berço com pelo menos 15 cm de profundidade e misture na terra do canteiro 1 parte de areia, 1 parte de húmus de minhoca e algum outro adubo orgânico, como farinha de cascas de ovo ou cinzas de lareira.

Qual a importância da drenagem do solo?

Sabrina: A drenagem é o caminho que a água faz para sair e não ficar empoçada. Todos os vasos devem ter furos no fundo (se for vaso de barro, que geralmente tem um furo só, ele pode ser protegido com um caco de telha para não entupir). Na hora de plantar, coloque uma camada de pedras para cobrir o fundo do vaso e use um pedaço de manta de drenagem ou uma camada de areia antes de colocar o substrato (terra preparada para plantio).

5 plantas fáceis de cultivar:

  • Alecrim: precisa de bastante sol e detesta solo encharcado.
  • Manjericão: gosta de vaso grande e terra boa. Para durar mais, corte as flores.
  • Cebolinha: deliciosamente fácil de cultivar e super versátil, podendo ser podada até 5 vezes com rebrota garantida.
  • Orégano: pode ser plantado em vaso pequeno e não é exigente quanto à adubação. Pode durar anos.
  • Capim limão: precisa de vaso grande e pode durar a vida toda se receber bastante sol em suas folhas.

Dicas de manutenção:

Qual a necessidade da adubação e da poda e como esses procedimentos podem ser feitos?

Sabrina: A adubação é fundamental para a saúde e a beleza das ervas. Se sua hortinha está em vasos, adube mensalmente com algum tipo de adubo orgânico: afofe a superfície do vaso e coloque o adubo conforme a indicação do fabricante. Se for composto orgânico produzido em casa, cubra a superfície do solo com uma fina camada de composto. Em canteiros, a adubação pode ser a cada 45 dias.

E se aparecer alguma praga, o que fazer?

Sabrina: A primeira coisa é diagnosticar o problema. Uma praga vem para nos mostrar que algo não está bem em nosso cultivo. Avalie todos os pontos, como quantidade de sol, adubação, tamanho do vaso e rega, e altere o que pode estar errado. Feito isso, existem caldas caseiras à base de sabão de coco, pimenta, cebola, alho ou mesmo o óleo de nim, que tratam pragas e doenças.

Como experiente no assunto, você poderia nos adiantar alguns erros mais comuns e como evitá-los?

Sabrina: Um dos erros mais comuns é colocarmos mais plantas em um vaso do que ele suporta. A rega excessiva também é um clássico e assim matamos nossas plantas afogadas. Também plantamos e nunca mais adubamos as ervas e elas acabam sofrendo por deficiência de nutrientes. Outro erro clássico é arrancarmos as folhas ao invés de cortarmos os galhos na hora da colheita. Então fique de olho para não cometer esses erros que podem prejudicar sua horta.

Texto por Yasmin Toledo | Fotos por Rafaela Paoli; Isadora Fabian e Maura Mello | acervo Histórias de Casa

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 7

  1. Adorei este post, as dicas são muito interessantes . Adoro plantas. Cheguei aqui pelo link do Chata de Galocha e super amei.

    Responder
  2. Muito legal esta matéria!

    Responder
  3. Amei dar essas dicas para esse site lindo! Obrigada Yasmin Toledo pela delicadeza e sensibilidade <3 Espero que cada vez mais pessoas plantem e colham suas ervas, temperos, hortaliças e PANC!!!! Saúde e bem-estar garantidos!!!!

    Responder
    • Nossa, adorei essa reportagem!

      Responder
    • Oi Sabrina, tudo bom?
      Nós que amamos te receber aqui para falar sobre esse assunto tão especial. Muito obrigada por compartilhar seu conhecimento com a gente. 🙂

      Responder