Por conta da rotina corrida, a chef de cozinha Helena e o músico Bruno nunca puderam dedicar muito tempo à decoração de sua casa. Os espaços tinham bastante potencial, mas faltavam soluções de organização e detalhes que trouxessem à tona a personalidade dos moradores. Quem mudou o rumo dessa história foi a Lívia Amaral, da Casa Sopro, com ideias frescas e simples que deixaram o lar do casal incrível. “Parece que as coisas acharam seu lugar. A casa ficou mais bonita, é claro, mas também muito mais organizada e funcional”, eles contam.

Em casa de chef, a mesa sempre tem um lugar especial. A sala de jantar já era aconchegante graças aos móveis de madeira rústica, mas Lívia fez um ou outro ajuste na decoração, como a troca do lustre e a instalação de uma prateleira antiga que serve de apoio extra na hora de servir. Parte das louças fica organizada no armário alto, que também acomoda os livros de receitas.

Na verdade, quem realmente deu o empurrãozinho para as mudanças na decoração foi Manoela, a filha de 2 anos do casal. Conforme ela começou a se aventurar pela casa, Helena e Bruno perceberam que poderiam criar uma área de brincadeiras e organizar seu quarto de forma mais prática, mas sem precisar investir em peças novas – a ideia era aproveitar o que eles já tinham. Com a sugestão de Lívia, o antigo estúdio de Bruno foi transferido para um cômodo nos fundos e a saleta aberta para o jardim virou o canto de brinquedos de Mano. “Ela adora a estante de livros e também gosta de sentar na mesinha para brincar”.

Os quartos são iluminados, com armários antigos charmosos e pé-direito alto. No de Manoela, a cama é baixinha e parte dos brinquedos e livros fica organizada em caixotes de madeira que podem mudar de posição. “A Lívia me ajudou bastante neste espaço: usando quadrinhos que já tínhamos para enfeitar as paredes, escolhendo um tapete novo que fosse bonito e gostoso, me mostrando opções de móveis… acabamos optando por mandar fazer a cama em rosa pink”, Helena lembra. No quarto do casal, o branco predomina – mesmo porque, esse é um lugar de descanso que não precisa de tantos móveis ou de muita informação.

A decoração na casa de Helena e Bruno não foi pensada apenas para ser bonita ou para funcionar bem. É uma decoração afetiva que resgata lembranças, valoriza peças de família e promove o convívio e a liberdade. Tudo a ver com o jeito solto dos moradores e com as memórias que eles querem guardar. “As principais lembranças da minha infância são da casa de meus avós, na beira do rio Guaíba, em Porto Alegre, com muitas árvores e frutas…”, Helena fala. Talvez venha daí seu amor por tudo o que é simples.

Fotos por Gisele Rampazzo