Rodrigo e Mariana moram no Edifício Copan e amam passear pelo centro de São Paulo. Segundo eles, viver no prédio mais icônico da cidade é uma verdadeira lição de respeito ao próximo – afinal, o número de vizinhos é absurdo. “A diversidade do prédio é enorme, aqui mora todo tipo de gente em harmonia”, eles contam. Como se fosse uma homenagem ao estilo modernista da obra-prima de Niemeyer, o apartamento do casal expõe o teto de concreto e tem grandes aberturas. Tudo isso pontuado por muitos objetos cheios de significado. * Clique AQUI para ler o Capítulo 1 também.

Após a reforma idealizada por Naya, a ‘mãrquiteta’ de Rodrigo, o apê parece ter ficado maior e mais funcional, além de permitir que a vista seja apreciada de todos os cantos. Um dos espaços mais usados pelo casal é a cozinha, que passou por grandes transformações. Ao contrário do que acontece na maioria dos casos, o ambiente foi diminuído para permitir a criação de uma área de serviço melhor. “Como ela é aberta, ainda assim ficou de um tamanho ótimo. Todo dia a gente chega e vai direto para lá. Às vezes eu cozinho, às vezes a Mari, mas passamos horas ali batendo papo e bebendo”. A bancada alta virou o lugar para socializar, tanto que os amigos se concentram ali durante as festinhas e jantares.

Nem mesmo as paredes do quarto foram mantidas, ficou tudo aberto. Para garantir um pouco mais de privacidade, Rodrigo e Mari tiveram a ideia de pendurar um grande quadro em frente à cama usando cabos de aço – assim quem entra no apê não vê o quarto de imediato. O guarda-roupa de madeira ocupa uma só parede, mas vai até o teto para otimizar o espaço. “Ter um armário só foi bem bom, nos livramos de um monte de tranqueira e coisas que não usávamos, lavou a alma”, o morador explica.

Totalmente inspirado no estilo industrial, o banheiro do casal é uma atração à parte. O que não falta no ambiente são boas ideias, e a primeira delas é a própria porta, com recorte de vidro que traz luminosidade sem expor o interior. O divertido detalhe lembra as portas de detetives dos filmes. Outra solução inusitada é a porta de forno a lenha embutida em um recorte na parede que dá para a área de serviço – através da abertura as roupas sujas vão direto para o cesto no cômodo adjacente, sem bagunça. “Eu queria um piso que fosse mais antigo, então optamos pelo ladrilho hidráulico e achamos uma fábrica pequenininha aqui em São Paulo. Os azulejos eu vi em uma padaria, achei bacana”, Rodrigo explica.

Mais do que uma casa com uma decoração legal, o apartamento de Rodrigo e Mari é seu porto seguro – o lugar onde eles se enxergam em cada objeto e cada solução da arquitetura. “Os elementos escolhidos a dedo e que trazem uma energia única para o apartamento são o que o transformam em um lar. E também a harmonia que temos e que faz com que a gente queira voltar para cá todo dia”.

Fotos por Alessandro Guimarães

CONTINUA