Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

A história de amor da arquiteta Renata e do advogado Ricardo começou quando os dois ainda eram crianças. Depois de muitos anos de amizade e algumas idas e vindas no namoro, eles se reencontraram e hoje vivem juntos em uma deliciosa casinha de 125m² na Vila Nova Conceição. Durante algum tempo o casal dividiu um apezinho no mesmo bairro, porém com a chegada da mascote Lola essa missão se tornou cada vez mais difícil: “Uma buldogue e duas pessoas em um apartamento pequeno não deu muito certo. Foi quando começamos a procurar um novo imóvel, e morar em casa era um sonho antigo”.

Renata lembra que os espaços estavam bastante detonados antes da mudança, pois na época o endereço era usado como um consultório – todas as paredes e até as telhas eram pintadas de verde limão e os acabamentos também apresentavam problemas. O casal precisava de uma reforma rápida e com orçamento enxuto, mas isso não foi problema para a moradora, que faz parte da equipe do programa Decora, do canal GNT. “Quando falamos ‘rápida’, é rápida mesmo”, ela brinca. Em apenas um mês foi possível trocar o piso, quebrar algumas paredes, renovar completamente a cozinha, mexer na parte elétrica e pintar a casa inteira. Já os ajustes menores foram sendo finalizados aos poucos após a mudança.

Renata e Ricardo adaptaram a casa à sua dinâmica de vida, criando ambientes com múltiplas funções e muita integração. Como em qualquer obra, nem tudo saiu como planejado, porém o casal teve jogo de cintura para driblar os imprevistos: “Meu sonho era ter tacos de madeira. Compramos o piso, mas quando vieram instalá-lo notaram que a umidade do contrapiso não estava adequada. Tínhamos algumas opções, porém por uma questão de custo x benefício acabamos optando por devolver a madeira. Eu chorei nesse dia, era o fim do sonho que estava tão próximo… hoje, acho que foi uma decisão acertada”, ela diz.

A antiga cozinha, além de fechada e escura, tinha um estilo que não agradava em nada os moradores, com divisórias de alvenaria e revestimentos estranhos. Para trazer luminosidade e passar a impressão de que o espaço é um pouco maior, Renata utilizou azulejos brancos sobre as bancadas e desenhou armários de madeira com nichos abertos que não chegam até o teto, proporcionando mais leveza à marcenaria. A bancada estreita que divide o cômodo da sala de jantar disfarça a lateral da geladeira e serve como apoio para objetos e louças.

Apesar de viver em meio a inúmeras referências de arquitetura, a moradora não se prendeu a regras na hora de criar a decoração. “Quase todos os móveis que temos nós herdamos de alguém da família e aí pintamos, laqueamos, reestofamos… enfim, os deixamos com a nossa cara. Compramos algumas peças, fomos mudando, refazendo, trocando… a casa nunca está pronta. Ela é um conjunto de várias ideias e das coisas que gostamos, elas combinando ou não. Na verdade, a decoração daqui de casa é uma mistura de nós dois”, eles contam. * Quer continuar o passeio??? Então clica no ‘Continua’ abaixo para ler o Capítulo 2.

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

CONTINUA