O apê atual da Paloma chegou em sua vida por conta de uma grande necessidade de mudança. Durante 20 anos, a arquiteta e urbanista morou com sua avó em Niterói. Porém, o falecimento dessa pessoa tão importante instalou em Paloma um novo sentimento: “Não consegui mais ficar no apartamento onde eu vivia com ela. De repente, me vi com certa urgência de mudar de casa. A ideia de vir para o Rio de Janeiro já existia e sempre gostei muito da Gávea, mas achar algo pronto e legal na Zona Sul não é muito simples”, conta. Foi então que ela teve a ideia de ligar para uma amiga, a designer de interiores Ana Teresa Bello, e pedir dicas de ruas interessantes no bairro para procurar seu novo lar. O que Paloma não imaginava era que estava prestes a se deparar com uma coincidência feliz.

“Ana estava vivendo em São Paulo e nessa conversa descobri que o apartamento dela no RJ tinha acabado de ficar vago”, a arquiteta lembra. Aquela foi a oportunidade perfeita para Paloma se sentir em casa outra vez, exatamente no bairro em que queria, em um apê pronto para morar. “Ele já estava reformado, mas não tinha a minha cara por ser muito colorido. Conversei com a Ana e ela me deu carta branca para mexer em algumas coisinhas”. As alterações foram poucas, mas significativas para a nova moradora: uma área externa teve que ser devolvida ao condomínio, a cozinha recebeu alguns ajustes e a suíte também passou por transformações. “Voilà! Assim que voltei de uma viagem, já fui para o novo apartamento”, Paloma conta. 

A decoração da casa fluiu de um jeito bem natural. A moradora trouxe com ela muitos itens de seu endereço anterior, como móveis, objetos herdados da família e quadros. Entre os favoritos, estão os retratos dos bisavôs: “Um deles, que ficava na cabeceira da minha avó, hoje está sobre a minha cama”, Paloma diz. O afeto ainda mora nas lembranças de viagem e na coleção de guias utilizados para conhecer lugares ao redor do mundo. E como não poderia deixar de ser, a profissão de arquiteta também influencia nas escolhas da casa, tanto que ela desenhou o sofá da sala, por exemplo. “Como aqui estou no térreo e as janelas têm grades, não passava pela porta um sofá do tamanho que eu gostaria. Então, desenhei uma base bipartida e pedi para o marceneiro executar”, explica. Paloma também encomendou um futon e algumas almofadas com tecidos trazidos de viagem.  

Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro

Outro item que a moradora destaca é a mesa de centro. “Logo no primeiro mês, ela já estava sem um pedaço do tampo porque a Yuki me fez o favor de comer antes mesmo de eu terminar de pagar (risos)”. Yuki é a amiga de quatro patas da moradora, que faz dupla com o Tibi. Os dois cachorrinhos são super companheiros e ocupam o apê com suas manias e brincadeiras. “Nada foi pensado especialmente para eles, mas dá para ver que usam tanto (ou até mais) a casa quanto eu. A única coisa que mudei por conta da Yuki e do Tibi foi a minha cama, para uma altura que eles conseguissem subir confortavelmente”. 

Paloma adora receber os amigos em casa e isso se traduz no apartamento pela integração da sala de estar com o jantar, que fica perto da cozinha também. “Acho que um lar precisa ter a personalidade de quem habita o espaço. Costumo dizer que a casa deve ser prática para ser bonita, porque senão será uma eterna arrumação… então, esse apartamento tem que funcionar para mim e para os cachorros. Por isso é uma casa sem frescuras, de quem curte receber e cozinhar para os amigos”. 

Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro
Apartamento com decoração clean e minimalista no Rio de Janeiro

Para a moradora, o tempo ajuda a maturar a relação dos moradores com a casa. O estilo de seu apê vem de uma mistura de coisas e referências que ela foi conquistando aos poucos. E os quadros são os melhores exemplos desse movimento: “Vou adquirindo em feiras ou viagens e com o tempo vou pendurando. Curto muitos tipos de mídia, mas talvez a fotografia seja a que mais me atrai”, ela fala.  

E para aproveitar todos os ambientes do apê, ela espera a noite chegar para descansar do trabalho e curtir a iluminação mais calma e “baixinha”, na melhor companhia que é a dupla Tibi e Yuki. Nesse apartamento, tudo é funcional e com propósito, para que, só assim, faça sentido na vida de Paloma: “A minha casa tem o meu jeito por conta desse mix de coisas e estilos. Para todo canto que olho, terei algum objeto com história. Amo!”

Texto por Natália Pinheiro | Fotos por Felco