Suvinil e Histórias de Casa

Nós respiramos decoração todos os dias e vivemos cercadas de referências legais aqui no blog, então era inevitável que nossa casa se transformasse em um lugar para testar ideias também. De tanto mudar aqui e ali, decidimos compartilhar nossas aventuras e reformas com vocês. E hoje é a vez de mostrar as mudanças na sala de jantar da Paula Passini, uma das criadoras do Histórias de Casa. 

Desde que me mudei para esse apartamento, há dez anos, a mesa e os bancos de madeira antigos formavam a decoração da sala de jantar. O conjunto veio da família do Pedro, meu companheiro, e viajou do Rio de Janeiro a São Paulo para fazer parte da nossa casa. Quase na mesma época, também ganhamos de um amigo uma grande coleção de discos de vinil, o que nos incentivou a olhar com carinho para esse canto do apê. Até então, nosso único investimento no espaço tinha sido o móvel de palhinha e madeira de demolição para acomodar os discos e a vitrola, que era do meu avô, então durante todo esse tempo a sala ficou basicamente do mesmo jeito. 

Naquela época o apê passou por uma reforma geral, mas os gastos da obra colocaram a decoração da sala de jantar em segundo plano. Os anos passaram, a madeira ganhou algumas manchas e os bancos se tornaram cada vez desconfortáveis – a gente queria comer e fugir da mesa rapidinho, pois não tínhamos apoio para as costas e isso incomodava. Eu tinha bastante vontade de mudar esse ambiente, e com o isolamento percebi que realmente precisava de mais conforto, então embarquei em uma transformação incrível com a Suvinil e também troquei os móveis. Eu adoro mudanças na decoração e na vida: mesmo pequenas, elas mexem e renovam a energia do espaço, então estava na hora! 

Antes & Depois

* Mova as setinhas nas fotos para a direita e para a esquerda para conseguir comparar direitinho as duas versões!

Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Cor Camelo, da Suvinil

Antes das tintas, o primeiro passo foi encontrar outra mesa para a sala de jantar. Eu tinha muitas dúvidas entre usar uma mesa retangular ou uma mesa redonda, e isso acabava me empacando. Então, decidi começar a mudança pelas cadeiras. Depois de algum tempo pesquisando, o modelo escolhido foi a Thonet, com um desenho leve e muito mais confortável do que os bancos antigos. Parti para o garimpo, porque queria cadeiras usadas para não pagar tão caro. Nessa hora, o Histórias de Casa deu uma mãozinha: pedimos indicações para os leitores pelo Instagram e deu certo. 

Após alguns testes feitos com as possíveis disposições das cadeiras, percebi que uma mesa de jantar retangular combinaria mais com o formato do cômodo. Queria encontrar uma peça feita de madeira maciça, com design simples, e a opção surgiu quando vi um modelo lindo dos designers da Jabuticasa. A nova sala de jantar começou a aparecer e tomar forma, só que ainda não estava completa. Eu sentia que ainda faltava algum detalhe para concluir o ambiente. Aí veio a ideia da pintura em L que pega a porta de entrada da casa e uma parede da sala de jantar.

Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Cor Camelo, da Suvinil

O uso das cores foi muito bem pensado, porque prefiro uma paleta mais suave nas paredes. Queria algo que aparecesse, mas que ao mesmo tempo fosse sutil. Após alguns testes, cheguei na cor Camelo, da marca Suvinil. E amei! A pintura deu outra cara para a sala de jantar: realçou a escolha dos móveis novos e trouxe ainda mais personalidade para a decoração. A porta do apartamento também ganhou o mesmo tom e, na empolgação, decidi pintar até o hall de entrada. 

O hall estava pintado com um bege feio e um pouco sujo. Eu brinco que devia ter sido pintado pela última vez nos anos 50. Para a entrada, usamos a cor Chão Batido, da Suvinil. A pintura renovou esse canto e o deixou mais moderno, mas ainda é um espaço em transformação, porque pretendo completar com peças mais funcionais daqui um tempo.

Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Cor Camelo, da Suvinil
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Antes e depois em sala de jantar com novos móveis e pintura das paredes
Cor Chão Batido, da Suvinil

As novas cores do apê dão as boas-vindas e abraçam quem chega por aqui. No dia a dia, a novidade já está fazendo parte da rotina, mas o impacto da mudança continua o mesmo. Fiquei muito feliz com o resultado! O espaço ganhou outra energia e temos aproveitado muito mais tempo sentados à mesa. É realmente um novo ciclo para o apartamento que nos acolhe há tantos anos.

Fotos por Maura Mello