Raízs e Histórias de Casa

Tem coisa melhor do que cheiro de comida fresquinha se espalhando pela casa? Para Dani, cozinhar é um gesto de afeto e esse olhar certamente influencia na forma como ela aproveita seu apartamento no famoso Edifício Planalto. “Quando cozinho me sinto mais inteira, me sinto parte de muita coisa. Nunca cozinho quando estou triste, por exemplo. Porque cozinhar diz muito sobre as minhas emoções, sobre o tanto de amor e energia que posso colocar ali”, ela conta. Fotógrafa e diretora criativa, a recifense sabe enxergar a poesia do cotidiano como ninguém – e quer algo mais cotidiano que o preparo de uma refeição?

Como ela mesma diz, a comida faz parte da nossa história, dos nossos afetos e da nossa memória – consequentemente, é parte importantíssima da nossa casa. E para nós, falar de casa afetiva é falar também da busca por uma alimentação mais saudável. Por isso o conteúdo de hoje é uma parceria com a Raízs: uma plataforma online de venda de produtos orgânicos. Mas a Raízs na verdade é muito mais do que isso. Eles conectam os pequenos produtores de orgânicos à nossa mesa, promovendo um grande impacto social e reforçando a consciência alimentar das pessoas. Se cozinhar é um gesto de afeto, consumir produtos orgânicos é um ato de amor.

Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Cesta de produtos orgânicos da Raízs
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos

Quando Dani se mudou para esse apartamento seis meses atrás, a cozinha logo virou um dos cantos favoritos. “Eu estava procurando um lugar com varanda e quando visitei esse apê foi a primeira coisa que me encantou. Mas hoje eu acho que o detalhe mais especial na verdade é a cozinha, toda original ainda!”, ela diz. Aliás, a arquitetura do prédio é um charme à parte. O projeto do Edifício Planalto é de Artacho Jurado e tem elementos característicos de seu trabalho, como as pastilhas coloridas na fachada e o guarda-corpo ornamentado.

A fotógrafa aprendeu a cozinhar de verdade quando passou a morar sozinha, aos 18 anos, porém ela sempre teve um afeto enorme pela culinária, pois sua família inteira (tanto paterna, quanto materna) é apaixonada pelo assunto. Um dos hábitos que ela herdou de seus pais é o de aproveitar ao máximo o café da manhã – sua refeição preferida. “Isso me leva diretamente para casa. Gosto de apreciar cada instante, o cheiro de café, o pão assando no forno, o cuscuz quentinho… são muitas as sensações que se vive no cozinhar e principalmente em preparar algo para você mesmo”.

Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Cesta de produtos orgânicos da Raízs
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos

Para Dani, a decoração de sua casa é sobre memória. Memórias que se transformam e traduzem em pequenos detalhes, do material escolhido para a mesa de refeições até o jeito de organizar os temperos dentro do armário. “Eu sempre tive um desejo muito profundo de resgatar minhas raízes, as lembranças das minhas avós, as heranças visuais da minha infância… Lembro muito das cadeiras Gerdau na casa de Vovó Nazete, mãe da minha mãe. Lembro também dos tapetes de Voinha Zita, avó paterna, e de sua cozinha com azulejos rosa e geladeira azul. Já a casa dos meus pais tinha muito pinus, almofadas no chão e uma mesa com tampo de mármore. A decoração aqui foi pensada para trazer mais pra perto o sentimento que se encravou nessas memórias. O apê materializa o que fui, o que vi e quem estava ali comigo – e mistura com o que sou hoje. É um acalento no peito reviver tudo, dentro da minha casa, todos os dias”.

Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos

Por que amar a Raízs?


Produtos orgânicos

Consumir orgânicos, além de gerar grandes benefícios para a saúde, também promove um impacto positivo no meio ambiente, já que esse tipo de cultivo não agride o solo e a natureza. Todos os hortifrútis vendidos na Raízs são certificados, o que garante a procedência orgânica. E os produtos são colhidos próximo à data de entrega, evitando o desperdício.

Sazonalidade

Na Raízs, a sazonalidade de cada alimento é respeitada, por isso nem todos os produtos estão disponíveis o ano inteiro. O clima e as características do solo favorecem naturalmente o crescimento dos alimentos da estação, sem forçar esse processo. Por conta disso, os alimentos conseguem se desenvolver melhor e captar mais nutrientes do solo.

Pequenos produtores

A Raízs tem uma relação bastante próxima com os pequenos produtores. A plataforma oferece suporte como acompanhamento técnico do plantio e da colheita, além da comercialização com preço justo. Existe também o “Fundo do Pequeno Produtor”, que destina uma parte do lucro da empresa e 100% das doações feitas pelos consumidores aos pequenos produtores.

Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos
Histórias de Casa e Raízs Orgânicos

As receitas da Dani:


Bruschetta de tomates orgânicos

Corte os tomates cereja ao meio e tempere com azeite, sal e pimenta do reino.
Fatie o pão (de forma generosa), derrame um fio de azeite nele e coloque os tomatinhos temperados em cima. Leve ao forno em uma assadeira por 10min e finalize com manjericão fresco e parmesão ralado.

Bruschetta de cogumelo orgânico

Numa frigideira, derreta uma colher de manteiga e coloque os cogumelos cortados (usei o shimeji preto). Tempere com sal e um fio de azeite e espere ficarem levemente dourados (quase torradinho). Vire para dourar o outro lado também. Quando os dois lados estiverem bem dourados, adicione um pouco de shoyu (ou molho inglês) e depois as folhas de radicchio em tiras. Espere as folhas murcharem um pouco e adicione dois dedos de vinho rosé. Mexa mais um pouco, acerte sal e pimenta. Fatie o pão e coloque sobre ele 1 dente de alho cortado em lâminas. Depois, coloque o refogado de cogumelo por cima. Leve ao forno por 10min e finalize com tomilho fresco.

Fotos por Leila Viegas