Você já parou pra pensar quantas histórias e fases diferentes sua casa testemunhou ao longo dos anos? Mais do que simplesmente um espaço entre quatro paredes, a casa é uma parte muito especial da nossa vida, então por que não a transformar em um lar com mais aconchego e com a sua essência? Foi isso o que a designer Drê e o administrador Ildefonso fizeram no apê em que vivem desde 2008, e hoje a história desse lar abre a nossa série Sua Casa Bem Vivida, em parceria com a marca Electrolux. Vamos conhecer?

“Moramos aqui desde que éramos namorados. Casamos vivendo aqui. Engravidamos nesta casa e tivemos nossa filha Nina, hoje com 9 anos, sob este teto. Nestes quase 13 anos, passamos por inúmeras fases, o que se refletiu, e segue se refletindo, na forma como enxergamos nossa vida aqui dentro. Nada é cenográfico. Antes de estar fora, estava dentro de nós. Evoluímos e este espaço nos acompanha sempre nesses movimentos, o que nos deixa cada vez mais conectados a ele”, Drê conta.

Quem vê a decoração do apartamento hoje em dia – com seus tons suaves, texturas acolhedoras e móveis que abraçam – mal consegue acreditar que essa mesma casa já teve uma versão muitíssimo diferente, com tons vibrantes, clima urbano e paredes lotadas de quadros. Essa mudança completa de estilo, que a princípio até poderia soar como repentina, na verdade só foi a exteriorização das mudanças internas que os moradores já estavam vivendo há algum tempo.

A busca por uma rotina mais leve e tranquila, onde o tempo de descanso e o tempo de trabalho tivessem um equilíbrio melhor, se expressou no apartamento por meio de cores claras, muito branco, e materiais naturais, como madeira e corda – que, aliás, é a matéria-prima principal das criações de Drê como designer. Em contraponto à antiga decoração, de estilo industrial, o casal também introduziu plantas para deixar a sala mais verde e trazer uma espécie de respiro dentro de uma cidade como São Paulo.

“Antes nós não parávamos. Vivíamos intensamente a cidade e isso, claro, acabava invadindo a nossa casa. Essa foi uma fase muito boa, mas hoje somos mais caseiros. Adoramos abrir um vinho, ver um filme ou série, ficar os 3 juntinhos no sofá para no dia seguinte – normalmente aos domingos – acordamos tarde e preparamos um delicioso brunch”, Drê fala. Para ela, essa é a definição de bem-estar: uma casa gostosa de ficar e fácil de cuidar, pois assim sobra mais tempo para curtir os momentos em família ou com o novo cachorrinho, Jack.

Quem ajudou o casal nesse novo projeto de interiores foi o arquiteto Murilo Nogueira, do escritório Paralelo. “Ele captou exatamente a nossa mudança de mood na época e colocou em prática quase tudo o que está aqui hoje”, Drê lembra. Algum tempo depois, em 2020, a arquiteta Renata Costa entrou em cena e reprojetou o quarto e o banheiro da Nina que, já mais grandinha, pedia algumas mudanças típicas da idade. Assim como os pais, ela herdou o gosto por decoração e hoje em dia gosta de opinar em tudo.

Com ou sem pandemia, o dia a dia de Drê é bastante movimentado: entre casa, ateliê e os cuidados com Nina, tudo o que puder otimizar a rotina é bem-vindo. Para ela, ter qualidade de vida em casa não é apenas morar em um lugar bonito, mas sobretudo ter momentos gostosos com quem ama e praticidade para fazer o dia render mais. E é aí que entram os produtos incríveis da Electrolux, desde os eletros equipando a cozinha até o aspirador vertical na sala que é o aliado perfeito para manter as coisas em ordem – especialmente agora com a chegada do filhotinho Jack. “Como designer, sempre olho para a estética e funcionalidade desses equipamentos. Mas, principalmente, o quanto eles trazem de praticidade”, Drê fala.

Se a relação da família com o apê já era de carinho e identificação, agora que a vivência dentro de casa se intensificou todos estão aproveitando ainda mais cada canto. “Já vínhamos, mesmo antes do início da pandemia, desacelerando e curtindo mais o apartamento, mas sem sombra de dúvida tudo isso contribuiu demais para que nos sentíssemos super protegidos aqui dentro”, eles dizem. Drê explica que sua maior inspiração não vem somente de lembranças, viagens ou cores, e sim daquela busca por pertencimento, por entender que a casa faz parte de você, do seu modo de ver e entender a vida.

“Deixe que a casa venha de dentro (de você) para fora, sempre respeitando o seu momento de vida. E não tenha preguiça ou medo de mudá-la quando achar conveniente ou necessário. Deixe que ela te acompanhe”, ela ensina.

Fotos por Maura Mello