Em busca de sossego | Capítulo 2

Um novo lar para uma família que procura viver de forma mais tranquila

O novo apartamento da jornalista Adriana e de sua família foi um verdadeiro achado no bairro de Higienópolis. Ali, os moradores encontraram todo o conforto que buscavam, mas também investiram em uma reforma para ampliar a integração e deixar os espaços mais personalizados para o estilo e as necessidades de cada um. Na cozinha, a demolição de uma parede integrou o cômodo à sala de estar e a criação de uma bancada de concreto remete ao sítio para onde a família costuma viajar. Curtindo seu piso de ladrilhos hidráulicos, Adriana prepara risotos quando passa o final de semana em casa e, junto de seu marido, não deixa faltar vinhos e queijos para os momentos de descanso.

Como muitos móveis vieram da antiga casa, logo no projeto os moradores se preocuparam em incluir as peças especiais que não seriam deixadas para trás com a mudança, como o espelho da suíte do casal: uma janela de 1930 que Adriana garimpou na época em que viveu em Nova Iorque. Além desse xodó, outros móveis foram trazidos dos Estados Unidos, como um criado-mudo e o lustre da sala. Pequenos objetos também vieram de todos os lugares por onde a família já passou: “Temos itens da Serra da Mantiqueira, como a cerâmica branca, em cima da cristaleira com uma igrejinha. A casinha de madeira ao lado, com vários passarinhos, eu trouxe do Peru, de minha última viagem a trabalho”, conta a jornalista.

Nos quartos, a planta e o piso original foram mantidos e as paredes foram descascadas para trazer o conforto dos tijolinhos e uma unidade visual por todo o apê. Na decoração, o quarto da filha do casal foi o que passou por uma maior transformação: deixou de ser o espaço de uma adolescente para ser o de uma jovem adulta que estuda muito. Ela escolheu o local da escrivaninha e quis a cama de casal, então tons mais claros para a marcenaria e cabeceira ajudam a manter a leveza do cômodo, que não é grande. “Os objetos são as coisas de maior referência emocional pra ela. O que ela gosta está exposto ali, do jeito dela. E o cachorro tem livre acesso à cama. Seu quarto, suas regras. Funciona assim em casa”, brinca Adriana.

Já na suíte, o drama antigo de dividir o closet deixou de existir: “Como o quarto é bem grande, temos espaço sobrando no guarda-roupas agora”, o casal fala. A bancada de concreto é uma área de trabalho e leitura de frente para o verde, e a maior parte das peças também veio do endereço anterior.

No apê, todos os três moradores se sentem felizes e muito bem representados. Para Adriana, a sensação de voltar para a casa é das melhores: “Sempre que abro a porta ao voltar de uma viagem ou dia cansativo, entro e gosto das coisas que vejo, da cadeira de leitura, do canto das guitarras… voltar pra casa é sempre voltar pra família, é bom demais”, diz.

Fotos por Maura Mello

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 4

  1. Amo esse clarão de luz vindo das janelas, adorei o piso de tacos ainda riscados( nada de frescuras), só senti um pouco de falta de verde dentro de casa, quanto ao nosso amigo peludo sem comentários, pq se parece muito com os meus “shelties” que já se foram e sinto a maior falta.

    Responder
    • Essa casa tem muitos detalhes especiais mesmo, a luz sendo um deles.
      Que pena que não tem mais seus doguinhos. Eles trazem alegria pra casa, né?

      Responder
  2. Quanta luz tem essa casa, a beleza se deu por acréscimo mas a luz natural é a estrela principal, ainda que não tivesse os elementos lindos da decoração, o ambiente por si só é tão lindo! Uma lindeza o peludinho!

    Responder