Essa história deliciosa é em parceria com a Casaquetem, uma loja de decoração e design com uma curadoria muito especial que une a essência dos garimpos de antigamente com a praticidade de encontrar muitos itens incríveis em um lugar só. Vem com a gente…

Quando o fotógrafo e relações públicas Lucas resolveu sair da casa dos pais cinco anos atrás, a primeira coisa que ele procurou foi um apartamento acolhedor, em uma rua tranquila, com boa iluminação natural e de preferência com uma cozinha bem equipada, já que ele ama cozinhar. Encontrar um lugar com todos esses atributos – e que tivesse um aluguel acessível na época – não foi nada fácil, mas a espera valeu a pena. Hoje, mais do que um apê confortável, Lucas tem um verdadeiro lar.

Desde a mudança, sua vida passou por grandes transformações, mas o apartamento segue firme e forte acompanhando todas elas. Num primeiro momento, Lucas fez ajustes pequenos no imóvel, como pintar as paredes e remover texturas antigas, mas depois ele foi investindo em melhorias que fizeram toda a diferença em seu bem-estar. A principal delas foi a criação de uma janela entre a sala e a cozinha para que pudesse cozinhar e receber os amigos sem ficar isolado. Mesmo tendo um apê alugado, o morador não abriu mão desses detalhes. “Para mim, o mais importante é morar com conforto, independentemente do tempo que você pretende ficar na casa”, ele fala.

Estante organizadora para parede e cachepot Goma, de feltro, da Casaquetem

Trazer personalidade a um lugar que não é seu e que pode ser trocado a qualquer momento é o grande dilema de quem vive de aluguel, mas Lucas tira o desafio de letra. “Acho que qualquer casa, alugada ou própria, tem que refletir todos os aspectos da vida de seus moradores. Eu amo gastronomia, trabalho com isso na Coentro Comunica e um dos meus maiores prazeres é cozinhar e receber amigos – portanto investi na minha cozinha e em sua integração com a sala. As possibilidades são muitas, mas conhecer e seguir seus gostos na hora de decorar é fundamental”, ele diz. De fato, o amor de Lucas pela culinária transborda os limites da cozinha: livros sobre o tema se espalham por todo o apartamento e ele adora preparar mesas incríveis para receber as visitas. Aliás, a casa está sempre cheia.

Outra dica do morador é apostar em objetos que contem histórias ou traduzam seu olhar. “Eu decorei minha casa com achados de viagens, coisas herdadas e outros itens garimpados. E mesclei com peças de novos designers, pois esse também é um tema que me interessa. Achar este equilíbrio de objetos de fundo pessoal e outros que te agradam esteticamente é fundamental”, explica. Misturar estilos também é uma boa maneira de criar uma decoração interessante e não tão óbvia. Dá para ser um pouco industrial, um pouco nórdico, um pouco vintage… sem aquela padronização que deixa a casa com uma cara só.

Colher em cerâmica Botânico M e colher em cerâmica Botânico P, da Casaquetem

Entre os objetos de afeto de Lucas estão o mancebo de madeira no corredor, trazido da casa de sua avó, e a câmera fotográfica de seu avô, que ainda tem um adesivo escrito por ele na tampa; além de móveis usados nos quartos. A mesinha de centro também tem um valor especial, pois foi feita pelo próprio morador com pés de metal trazidos de um mercado de pulgas em NY e um tronco caído da fazenda de seus pais. “Tentei mesclar essas peças com itens mais modernos e tento dispor os objetos de forma divertida, para causar surpresa”. É essa mistura de velho e novo que conta um pouco da história de Lucas.

A janela da sala com vista para as árvores do bairro foi um dos motivos que fez o fotógrafo se apaixonar pelo apê, mas ainda assim ele sentia a necessidade de ter mais plantas por perto, então com o tempo foi surgindo um verdadeiro jardim interno. “Brinco que precisava de uma selva particular, já que cresci indo para a fazenda e brincando no meio de muitas árvores”. Reunidas em suportes de piso, cachepôs lindos ou penduradas no teto, as plantas ajudam a trazer ainda mais vida à casa.

Sem dúvida alguma, o apartamento de Lucas foi feito para receber bem. Da coleção de louças e utensílios de cozinha às cadeiras que mudam de posição facilmente, tudo na casa tem a preocupação de acolher e dar boas-vindas a todos – principalmente ao próprio morador. * Está curtindo a história e quer ver mais? Confira aqui o Capítulo 2.

Fotos por Gisele Rampazzo

CONTINUA