Se não fosse pela paisagem que denuncia estarmos em São Paulo, seria fácil acreditar que o apartamento do publicitário Cristiano fica de frente para o mar. O piso branquinho lembra as areias da praia, os móveis são despojados e a profusão de plantas reforça a ligação do morador com a natureza. E tem também o sol, é claro: “O que eu mais curto no apê é o sol da manhã. É inacreditável”, ele diz. * Perdeu o Capítulo 1? Então veja o post anterior AQUI.

Construído na década de 1940, o prédio conta com varandas generosas nos apartamentos da cobertura – no caso de Cristiano, a área descoberta forma um L ao redor da sala e dos dois quartos, então o publicitário pode acessá-la por três aberturas distintas. Apesar do grande potencial, a varanda passou anos abandonada antes de ele se mudar para o imóvel. “O espaço estava velho e sem uso. Comprei vasos de cerâmica, plantas e árvores e elas mesmas se encarregaram de ficar lindas”. Para complementar a atmosfera de ‘casinha com quintal’, o morador instalou treliças brancas em alguns trechos do guarda-corpo de alvenaria.

Cristiano tem uma rotina de trabalho intensa e passa horas em frente ao computador, mas com muita imaginação e alguns galões de tinta ele conseguiu suavizar o clima do home office para que o ambiente virasse um lugar mais prazeroso. Ao invés de criar um espaço todo branco e com pouca informação visual, o publicitário fez o caminho contrário – as paredes, o teto e até alguns móveis do escritório foram pintados de verde para que a decoração remetesse à natureza e trouxesse mais frescor ao dia a dia. “Eu sou um esteta. Gosto de cor e de ver a vida nos detalhes: minha casa é isso”.

Em seu quarto o morador usou novamente o recurso da tinta colorida, porém dessa vez o tom escolhido foi o Azul Arara e a pintura se limitou às paredes que cercam a cama. Simples e confortável, o ambiente também traz referências da praia, como a espreguiçadeira de madeira ou a pequena palmeira plantada em um vaso.

Cristiano conseguiu, como poucos, usar a decoração para traduzir sua personalidade e também seus sonhos. Segundo ele, o segredo é saber o tamanho do espaço que você ocupa no universo e criar um lar que acomode isso. “Quando chego em casa, pareço ser abraçado por ela.  É uma delícia essa relação de afeto e a energia que ela me dá”. Concorrido entre os amigos e palco de muitas festas animadas, o apê está sempre pronto para mais um verão – faça chuva ou faça sol.

Fotos por Gisele Rampazzo