Vista para o mar | Capítulo 2

As delícias de uma casa de praia em Ilhabela

Quase toda semana a arquiteta Joana Corbett e seu marido, o empresário Alexandre Barretto, pegam a estrada para Ilhabela para curtir alguns dias de descanso na casa de praia da família. Com estrutura de madeira e arquitetura contemporânea, a construção pousa levemente sobre a encosta de um morro próximo à Vila, o charmoso centrinho da cidade. Na decoração, o trabalho colorido de artistas locais e móveis repletos de memórias se unem para trazer aconchego aos ambientes. * Leia o Capítulo 1 e fique por dentro da história.

Como na maioria das casas de verão, as áreas externas são o ponto alto do projeto criado por Joana. Dividida em quatro andares para acompanhar a inclinação do terreno, a casa possui três grandes varandas e um deck com piscina. Para valorizar a paisagem e estimular os momentos de contemplação, a arquiteta teve a brilhante ideia de substituir os tradicionais guarda-corpos por bancos extensos que circundam as varandas: “A intenção era aumentar a permanência e a convivência das pessoas nesse espaço, enquanto admiram a vista para o mar”.

19-decoracao-varanda-casa-de-praia-de-madeira

20-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-escada-jardim

21-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-escada-de-pedra-jardim

22-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-escada-artesanato

23-decoracao-varanda-casa-de-praia-de-madeira-banco-arquitetura

Com portas de correr de madeira e grandes vãos, os quartos também se abrem para a paisagem, presenteando quem acorda com o espetáculo diário da natureza. Nesses espaços as soluções de decoração são simples, já que são menos utilizados durante o dia, porém garantem o conforto da família e dos hóspedes. Joana recorreu a ideias práticas para resolver questões comuns no litoral, como os mosquitos e a umidade. “Os armários são abertos para evitar cheiro de mofo nas roupas guardadas e temos venezianas com tela em todas as janelas e portas, assim conseguimos manter uma ventilação permanente sem que os mosquitos nos incomodem”.

Mais do que um elemento de ligação, a grande escada de madeira é o eixo onde tudo acontece – fechada por painéis de vidro de um lado e aberta para a varanda do outro, ela ressalta um dos aspectos mais especiais do projeto, que é a sensação de estar dentro e fora de casa ao mesmo tempo. Completando o cenário está o banco de madeira esculpida comprado em uma viagem ao Sul da Bahia: “Conhecemos o marceneiro que executava esses móveis, mas ele tinha deixado de canto aquela peça por ter desistido de seu trabalho. Para nós, foi amor à primeira vista”, lembra a arquiteta.

24-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-azul-e-branco

25-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-azul-e-branco

26-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-azul-e-branco

27-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-portas-venezianas

28-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-cadeira-de-criado-mudo

29-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-com-banheiro

30-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-cama-solteiro

31-decoracao-casa-de-praia-de-madeira-quarto-cama-solteiro

Cheio de espécies tropicais e muitas folhagens em diversos tons de verde, o jardim da casa se funde à mata ao redor. “Eu e meu marido somos amantes de plantas e estamos em uma pesquisa constante de como recuperar o ecossistema da Mata Atlântica em uma área que foi desmatada pelo homem”, Joana explica. Por isso o casal procurou replantar espécies locais e algumas frutíferas nativas, como helicônias, alpínias, guaimbês, embaúbas, palmito-juçara, pitanga, maracujá… “Aos poucos começamos a notar mudas brotando sozinhas no terreno, o que significa que animais locais estão habitando essa área mais uma vez e trazendo novas sementes”, ela completa.

Joana é apaixonada por arquitetura desde pequena – quando ainda nem sabia direito definir por que se interessava tanto pelas casas dos amigos e parentes. Por ter crescido em uma casa modernista com poucas divisórias, ela tinha curiosidade em entender como funcionavam os lares com disposições diferentes e também aprender novas formas de ocupar os espaços. Fã de construções de madeira que praticamente somem na paisagem, Joana aproveitou esse projeto em Ilhabela para colocar em prática ideias e referências inspiradas pelo trabalho de arquitetos como Shigeru Ban, Pierre Koenig, Peter Hübner, Marcelo Aflalo e Marcos Acayaba, entre muitos outros.

“A arquitetura japonesa sempre me cativou muito pelo seu acolhimento e simplicidade. Fora isso, em muitos lugares os japoneses adotam o conceito do ‘espaço Ma’, que significa o espaço atemporal – não é dentro nem fora, como o momento da passagem por uma porta, por exemplo. Acredito que atingi esse conceito, pois aqui é possível estar em casa o dia todo e sentir-se em um lugar aberto ao ar livre”.

Fotos por Alessandro Guimarães

[galeriaProduto produtos=”31,30,28,23,19,17″]

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 10

  1. qual praia fica essa casa?

    Responder
  2. Linda casa! Integrada à paisagem, decoração brasileira. Parabéns à arquiteta!

    Responder
  3. A casa mais linda de todas com certeza, que integração..

    Responder
  4. Pra mim, disparado o melhor post de todos, moraria nessa casa sem mudar absolutamente nada!

    Responder
    • Oi Paulo!
      Eba… que bom que gostou da matéria! Fazia tempo que queríamos fotografar fora de São Paulo e a casa da Joana foi um achado daqueles. 🙂
      Beijão

      Responder
    • Olá Paulo! Obrigada pelo super elogio!!! Com certeza essa casa mesmo que de veraneio se tornou um lar e a vontade é de ficar cada vez mais! Acho que todas as casas deveriam ser pensadas dessa maneira! Quando estiver por perto, faça uma visita! Abraço!

      Responder
  5. Um sonho de morar. Parabéns por valorizar a arte Brasileira.

    Responder
    • Oi Adriane!
      A casa realmente é deliciosa, não? Os moradores são apaixonados por arte popular, por isso os inúmeros quadros, móveis artesanais e objetos comprados de produtores locais. Nós também adoramos como as peças foram usadas na decoração!

      Responder
    • Obrigada Adriane! Realmente o Brasil possui uma arte muito especial! Cresci em torno desse tipo de arte e sempre me trouxe muita alegria estar cercada por isso! Espero que cada vez consiga transmitir mais essa paixão para meus clientes e transformar seus espaços mais alegres!

      Responder