Suvinil e Histórias de Casa

Uma casa de vila construída na década de 1940, em uma rua arborizada e tranquila: foi isso o que conquistou a arquiteta Monique e a publicitária Barbara quando as duas visitaram esse imóvel na região de Pinheiros. Em janeiro de 2022, elas iniciaram uma reforma na casinha alugada e resolveram trazer mais cor para os espaços – incluindo a fachada. Um mês depois, o casal já estava com tudo pronto para construir, no dia a dia, um lugar aconchegante e com cara de lar. Uma das mudanças mais significativas e que chama a atenção é a fachada, pintada de verde com detalhes em vermelho. “Nós queríamos que a casa tivesse a mistura fresh e leve do Rio de Janeiro, com um toque urbano e descolado de São Paulo. Então, trazer muitas plantas e fazer a fachada verde foram jeitos de conciliar esses dois estilos e criar a nossa urban jungle”, conta Monique.

Ela é carioca e já morou na Itália. Enquanto isso, a paulistana Barbara já viveu na Califórnia e também na China. Juntas, elas encontraram essa casa charmosa para começarem uma nova história junto da pequena Helena, filha de Monique. As diferentes experiências transformam o espaço em uma mistura interessante de objetos afetivos com memórias que se complementam na vida uma da outra. E não importa a diferença, uma coisa as une com toda a certeza: ambas amam a natureza. Por isso, a casa toda pintada de verde, que chega até a se camuflar com as árvores da vila, foi a escolha ideal na hora de transformar o imóvel. E os tons marcantes aparecem por todos os cômodos, com intuitos diversos. A ideia de usar bem as cores veio de forma natural, assim como a escolha da Suvinil para fazer parte dessa história.

Na fachada e em toda a área do quintal, a cor Doce de Mamão combinou com os detalhes em vermelho na cor Rosa-blush. E como a reforma toda aconteceu bem rápido, as moradoras decidiram pintar o chão do jardim em um tom mais neutro com a tinta Suvinil Piso na cor Concreto Puro: “Foi uma experiência prática, rápida e econômica. Queríamos nos mudar o quanto antes, e foi um período em que não parava de chover, então a pintura com tinta para piso foi a opção que nos atendeu esteticamente”, explicam. Elas gostaram tanto do resultado que investiram na mesma pintura para o piso da sala de estar, um dos cômodos mais usados na casa. “A sala reflete o que somos, onde nossas coisas se misturam, onde idealizamos projetos de vida, falamos de trabalho, planejamos viagens e recebemos nossos amigos e família”, contam.

Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Cor Doce de Mamão , da Suvinil
Cor Cortiça, da Suvinil
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Cor Doce de Mamão e cor Rosa-blush, da Suvinil
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Cor Cortiça, da Suvinil
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Cor Cortiça, da Suvinil
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados

Por esses e outros motivos, o cômodo precisava ser aconchegante. E por isso uma das ideias de Monique foi pintar o teto com a cor Cortiça, também da Suvinil. “O pé-direito da sala é bem alto e queríamos um ambiente acolhedor e intimista, com uma sensação de ninho. Então pintamos o teto para o espaço ficar em uma escala mais humana e passar a sensação de abraço”, dizem. E para completar, a integração com a cozinha deixou o ambiente mais iluminado e ventilado. Assim, as moradoras conseguem aproveitar um momento relaxante no sofá enquanto alguém está preparando uma refeição especial.

A sala segue a mesma dinâmica dos outros ambientes: uma mistura entre tons neutros e escolhas mais fortes. “Pensamos em cores acolhedoras para combinar com o tijolinho aparente e também para que os tapetes e objetos ganhassem destaque. Para o piso da sala, ao integrar com cozinha, que já tinha uma cor terracota bem avermelhada, optamos por uma cor neutra, a Concreto Puro. Desta forma fomos equilibrando a combinação”.

Os dois ambientes integrados revelam ainda mais sobre a história das moradoras. É na sala e na cozinha que estão os dois tapetes herdados de família por Barbara, que eram de seu avô libanês. Já as duas cadeiras de madeira – “apelidadas de Helena e Nina”, revela Monique – e a longarina de cinema antigo foram garimpadas em um antiquário localizado embaixo do elevado Minhocão.  Na cozinha, mais achados interessantes: “As cadeiras da sala de jantar são originais, compradas de segunda mão”, contam as moradoras. Mas o detalhe que elas mais amam nesse espaço é a ilha construída durante a reforma, com a grade de plantas logo acima. “É o que mais nos representa na casa por ser um local agregador e cheio de vida. Ele integra os espaços e reúne pessoas”.

Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Suvinil Piso na cor Concreto Puro
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Casa de vila colorida, com fachada verde, quintal e ambientes integrados
Cor Doce de Mamão , da Suvinil

Para a pequena Helena, o cômodo preferido é seu quarto, que recebeu camadas de um verdinho mais claro na parede para fazê-la lembrar do Rio de Janeiro. Nesse caso Monique usou a cor Passeio Ecológico, da Suvinil. “A escolha veio da intenção de trazer a memória afetiva da paisagem verde do Rio. E para acrescentar mais alegria, fizemos também as bolinhas coloridas”, contam as moradoras. Outra ideia, dessa vez mais no âmbito da praticidade, foi pintar as paredes da escada em um tom escuro de azul, para esconder as mãos pequeninas das crianças que sobem até o quarto de Helena nos dias de brincadeira.

Em pouco tempo, Monique, Barbara e Helena criaram uma atmosfera de acolhimento e carinho nessa casa de vila antiga. Além de todas as qualidades que uma rua tranquila e arborizada oferece, a rotina do lado de dentro do lar é o que faz esse espaço ser tão especial, seja pelas memórias expostas em objetos de viagem ou pelas cores bem escolhidas para dar personalidade aos cômodos. Porém, o que realmente se destaca aqui é o amor: “É sempre muito feliz o momento de voltar para casa. Ela foi pensada e projetada para atender às nossas necessidades e nos receber da melhor forma”, finalizam.

Texto por Natália Pinheiro | Fotos por Felco