Dicas de plantas com a Carol Costa

Quer saber como cuidar bem das suas plantinhas? A Carol ensina como entendê-las!

Sejamos sinceros: se você gosta de plantas ou possui muitos vasos em casa, com certeza já passou momentos de aperto ao achar que estava fazendo tudo certo, mas, ainda assim, observar uma plantinha querida dando sinais de que não ia bem. Pode ser até que você já tenha matado alguma espécie ou acredite que simplesmente não leva jeito com a coisa. Saiba que você não está sozinho! É por isso que convidamos a jardineira Carol Costa, criadora do site e do canal no Youtube Minhas Plantas, para nos ajudar a cuidar melhor até mesmo daquelas espécies que consideramos mais ‘complicadas’. Para ela, esse termo não faz justiça à natureza das plantas, e, na verdade, existem outros motivos simples que podem explicar o porquê de nossas samambaias, suculentas ou os Ficus lyrata não estarem tão saudáveis quanto nós gostaríamos. Para descobrir, é só continuar lendo essa entrevista!

Como sua relação com as plantas começou e quando você percebeu que poderia ser mais do que apenas um hobby?

Carol: Minha família é do interior de São Paulo e quando eu fui para a capital fazer faculdade e viver em um apartamento sozinha, minha mãe colocava mudas de plantas do quintal na minha mala. Na época, eu achava que era coisa de mãe e as plantas mais morriam do que davam certo, porque eu não sabia nada sobre elas. Entre mortos e feridos, eu consegui aos poucos perceber que em alguns lugares e situações, determinadas espécies ficavam melhores do que em outros. Essa foi a minha escola: eu passei mais de 20 anos tendo plantas em um apartamento e aprendendo com elas.

Isso só virou meu trabalho quando me dei conta de que estava muito deprimida no jornalismo. Eu já tinha mais de 15 anos de carreira e no meio de um processo de depressão, sem ânimo para nada, lembrei que a coisa que eu mais gostava de fazer nas horas vagas era cuidar das plantas. Originalmente, eu saí do jornalismo para fazer uma revista digital de plantas, mas minha carreira foi me levando para outros caminhos também.

Existem plantas difíceis de cuidar?

Carol: O que torna uma planta fácil ou difícil de cuidar é o quão parecido é o ambiente na nossa casa com o ambiente de onde ela é originária na natureza. Você pode achar muito complicado cuidar de uma samambaia se você a deixa tomando sol o dia inteiro num local de vento e sem chuva, porque ela é uma planta de mata, que está sempre protegida pela sombra de uma árvore e com umidade garantida. Se você consegue replicar isso na sua casa, a samambaia é muito fácil de cuidar.

Então não existe planta fácil ou difícil. Existem plantas que a gente consegue adaptar mais ou menos ao ambiente de casa, o que é bem variável porque o Brasil é um país continental. A dica é investir em espécies com as características que você gosta, mas que sejam mais adaptáveis ao seu clima, sua casa e sua região. É mais importante você escolher uma planta que se adeque à sua casa do que ficar tentando adequar sua casa para a planta.

Erros comuns no cuidado das plantas

Iluminação

Carol: Faço muitas visitas a lugares onde as pessoas têm problemas com as plantas e a maioria delas não sabe o que é sombra. Quando falamos que uma planta é de sombra, ela precisa estar grudada ao vidro da janela — não acima, abaixo ou do lado. Quanto mais distante da janela, mais escuro o lugar fica e depois de 2 ou 3 metros de distância, é breu! Podemos achar que é claro, mas isso é para seres humanos, e não para quem faz fotossíntese.

Uma questão é que as pessoas se inspiram em fotos na internet e reproduzem aquilo como se fosse a vida real. Nas fotos, a planta pode estar posicionada num canto lindo de uma sala super escura que um arquiteto projetou, mas ali nem sempre é o lugar que ela fica no dia a dia. É importante diferenciar o que é jardinagem de vida real do que é fazer uma foto. Assim como a roupa de um desfile de moda não é a mesma que usamos para ir à feira, uma fotografia com as plantas posicionadas eventualmente em locais absurdos também não é o dia a dia.

Rega

Carol: O truque é um só para todas as plantas: sempre coloque o dedo no substrato antes de molhar. Pode ser que a mesma planta precise de uma determinada quantidade de água diferente se fica em uma casa ou um apartamento, em um ambiente externo ou interno. A gente precisa lembrar que as plantas são seres flexíveis. Então, depois de tirar o dedo, se ele estiver sujo de terra, significa que ainda tem água. Se saiu seco, então o substrato começou a secar e pode ser que a planta precise de água. É importante retomar esse costume de colocar o dedo porque ele cria intimidade entre a gente e a planta. Vai ficando mais fácil.

Dicas específicas para espécies queridinhas

Samambaia:

É uma planta de alta umidade, que precisa de um local com muita claridade, onde ela receba sol fraco da manhã ou no final da tarde, quando o sol não está mais queimando.

Erro comum: Sempre vejo samambaias acima da altura dos vidros das janelas, presas ao teto com o suporte que vem da loja. Geralmente as janelas começam um pouco abaixo e isso significa que a maior parte da planta está no breu. Nesse caso, as pessoas até reclamam que a samambaia está feia e que só tem folha na ponta, mas é justamente por isso: ela só está bonita onde está recebendo luz.

Dica útil: A melhor maneira para regar é deixar o vaso por 1 ou 2 horas na imersão em um pote com água (nem que seja poucas vezes no mês). Como nem todos têm tempo e paciência para isso, existem outras soluções legais, como colocar o vaso em um cachepô um pouco mais largo, com pedrinhas para desencostar do fundo, e deixar sobrar um pouquinho de água da rega. Isso vai ajudar a criar um ambiente mais úmido.

Ficus Lyrata:

É uma árvore de sol forte, que fica com 10 e até 15 metros de altura na natureza.

Erro comum: Você vai colocar uma árvore de sol forte num local escuro e apertado da sua sala?

Dica útil: É importante lembrar que árvores e arbustos quase sempre são de sol, alguns toleram meia sombra, mas é muito raro encontrar plantas de grande porte que sejam totalmente de sombra. Para ter um Ficus lyrata em casa, você vai ter que adaptar esse tipo de necessidade ao cultivo dentro de um espaço: ela tem que estar grudada na janela e tem que tomar bastante água.

Cactos e suculentas:

Cactos são suculentas, mas como são um grupo muito homogêneo, possuem características mais coesas.

Erro comum: Geralmente o problema com as suculentas é a falta de sol. Por serem pequenas e portáteis, as pessoas colocam em todos os lugares da casa, menos perto da janela. Elas precisam de pelo menos 4 horas de sol por dia.

Dica útil: Cactos são plantas de sol forte o dia inteiro. Qualquer pessoa vai ter muita dificuldade de cultivar um cacto em um banheiro sem sol e com alta umidade. Para outras suculentas, existe uma regrinha fácil: quando ela perde folhas crocantes e secas, significa falta de água, mas quando as folhas estão moles, borrachudas, com uma parte marrom ou cheiro ruim, é sinal de excesso de rega.

Mais dicas

Como entender os sinais de que a planta vai mal?

Carol: Às vezes essa sinalização é tão característica que é fácil de identificar apenas olhando, mas às vezes não, então você vai por exclusão. Como está a luz? Como está a rega? Há quanto tempo está no mesmo lugar? Você mudou de vaso?

Se você tem uma planta que está mal, a primeira coisa a fazer é checar se ela está em uma boa condição de luz, mas cuidado: essas mudanças precisam acontecer devagar. Se a planta está há anos num ambiente escuro e você de repente a leva para o sol, ela pode morrer! Outra coisa: ao ver pintinhas ou manchas, você precisa examinar. Se elas saírem com a unha, é um sinal de que se trata de um inseto, um bichinho que você combate topicamente. Se você passa a unha e elas não saem, é algo sistêmico que está dentro da planta. Aí sim pode ser usado um bactericida, fungicida e/ou adubo. Mas antes de mais nada, observe a condição de luz!

Você tem recomendações para quem se interessa pelo tema e quer saber mais?

Meu livro Minhas Plantas: É o livro de jardinagem mais vendido no Brasil há 3 anos. Não é um livro técnico apesar de abordar os principais temas técnicos para quem quer ter plantas. Ele fala numa linguagem que todos conseguem entender e é um livro introdutório que resolve muitas questões sobre rega, luz e substrato. Tem capítulos inteiros dedicados a suculentas, plantas de sol, plantas de sombra, hortas, orquídeas… ah, também tem na versão e-book!

Curso de mudas: Para quem quer ir além, o meu curso de mudas tem uma carga grande de teoria sobre jardinagem geral e depois muitas aulas práticas com a mão na terra. É muito gostoso e dá pra aprender a multiplicar qualquer planta que a gente tem em casa.

Texto por Yasmin Toledo | Fotos por Alessandro Guimarães; Rafaela Paoli; Luiza Florenzano e Felco

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 3

  1. Correndo comprar meu livro Minhas Plantas. Obrigada Carol por dividir seu conhecimento. Suas dicas estão me ajudando demais!!!

    Responder
    • Oi Gisela, tudo bom?
      Compra sim. Nós temos o livro e adoramos! A Carol é super talentosa e didática. 🙂

      Responder
  2. Sigo a Carol e sempre estou aprendendo.

    Responder