Cultura local e decoração feita à mão no UXUA

A alma leve e colorida de Trancoso traduzida em espaços de sonho

O que faz uma viagem ser especial? Mais do que simplesmente visitar novos lugares, viajar é uma oportunidade de mergulhar em outra cultura, descobrir tradições locais e conhecer pessoas que carregam seus costumes no coração. E em Trancoso, no litoral da Bahia, esse desejo de explorar e ir cada vez mais fundo é algo muito forte. Foi assim, tomado pela energia única desse vilarejo, que o designer holandês Wilbert Das decidiu criar o UXUA Casa Hotel, um hotel que foge de todos os conceitos preestabelecidos e reinventa a experiência de viajar.

Pra começar, ao invés de quartos sem personalidade ou com alguma decoração genérica, os hóspedes do UXUA podem alugar casas inteiras no Quadrado, o pedaço mais tradicional e gostoso de Trancoso. A sensação é a de realmente estar vivendo em uma dessas casinhas coloridas e charmosas totalmente integradas ao dia a dia local e decoradas com itens produzidos por marcas da região ou garimpos especiais. “O UXUA é uma espécie de projeto dos sonhos. Um negócio que reflete uma tendência para o ‘luxo responsável’ e o amor à natureza, no qual poderíamos incorporar todos os nossos valores”, Wilbert fala.

Para Wilbert, Trancoso é um dos lugares mais autênticos que ele já conheceu em todo o mundo – então não haveria melhor cenário para a criação do hotel. “Morar aqui tem muitas recompensas e oferece diversas lições. Em 2004, veio o compromisso pessoal, e com a própria Bahia, de viver aqui e, além de trabalhar e construir algo em que acreditamos, ajudar a comunidade e as pessoas locais, melhorando o vilarejo e a vida daqueles que sempre chamaram essa terra de casa”, ele explica. 

De diferentes maneiras, o UXUA celebra a cultura e o artesanato local, assim como as tradições da Bahia – incluindo as realidades dos vilarejos, das fazendas e também das aldeias de índios, como os Pataxó. Tanto que, uma das maiores surpresas do projeto foi perceber o impacto que o hotel teve na economia artesanal de Trancoso. Se antes algumas técnicas manuais estavam à beira do esquecimento, sua utilização e divulgação internacional por meio do UXUA acabou resgatando o interesse por esses trabalhos – e consequentemente por quem os realiza.

“Aprendemos muito ao longo do caminho, mas também ensinamos, acrescentando uma perspectiva do nosso background em design, para que possa haver um pouco de evolução nessas técnicas, reunindo muitas pessoas criativas de todo o mundo para colaborar em Trancoso e desenvolver um estilo novo”, Wilbert conta. O designer explica que todos os parceiros artesanais que começaram a trabalhar com o hotel desde o início hoje possuem empresas próprias e a economia desse setor voltou a se movimentar.

.

Uma das casas mais especiais do UXUA é a do Seu Pedrinho, com fachada na cor magenta inspirada no tom da Bougainville mais antiga da região. Seu Pedrinho, o antigo morador, era conhecido por sua alegria e pelas contribuições entusiasmadas às festividades religiosas que ocorrem anualmente em Trancoso. Boa parte dos elementos arquitetônicos originais foi preservada, porém os espaços internos ganharam uma grande reconfiguração – já que, durante um tempo, o local havia funcionado como uma sanduicheria e por isso havia muitos ambientes pequenos. A casa foi então dividida em basicamente duas áreas: uma com living e cozinha; a outra com quarto e banheiro. 

Todo o design e a concepção da decoração foram feitos por Wilbert e sua equipe, então a casa tem milhares de detalhes cuidadosamente pensados. “A mobília, a decoração, a iluminação e os acessórios são criações orgânicas únicas do nosso atelier, confeccionadas à mão, no hotel, por artesãos nativos, que vão desde pescadores a índios Pataxós. As antiguidades e a arte são originárias do próprio local. Além disso, artistas internacionais que passaram uma temporada no UXUA contribuíram por meio de nosso programa Artista em Casa”, o designer conta.

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Mais do que valorizar os artesãos locais e incentivar o reuso de materiais, o UXUA promove diferentes ações para a comunidade, como o ensino de capoeira; a ONG Mama Trancoso, ensinando ambientalismo aos jovens; e também aulas de culinária que exaltam a comida baiana. “A mídia está cobrindo essas histórias porque os viajantes estão realmente interessados ​​em ‘viajar para o bem’”, Wilbert fala. 

Se a ideia é viajar para realmente vivenciar uma nova cultura e se apaixonar, Trancoso é o destino certo. Além do contato íntimo com a natureza em seu melhor, nesse lugar tão especial as pessoas amam sua herança e têm muito orgulho disso. “Sempre fico impressionado com o senso de comunidade desse local e, por causa do meu trabalho na indústria da moda, acho que aprecio isso ainda mais. Viajo constantemente e a tendência mais dominante que testemunhei é uma espécie de ‘internacionalização’ crescente de estilo e cultura, música, artes, etc. Com o UXUA, eu queria ir exatamente na direção oposta, a da ‘localização’”. No final, Trancoso tem uma escala humana que incentiva o contato real e desperta a deliciosa sensação de descoberta – sem dúvida o mais gostoso em toda viagem. 

Fotos por Maura Mello

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 9

  1. Que casa linda! Um sonho de natureza! Quanto mais local, mais global! Essa brasilidade do artesanato, da arte indígena, do simples, natural e autêntico é tudo de belo e aconchegante! Parabéns ao designer por enxergar o diferente, valorizar e fomentar a cultura brasileira! Que é única, rústica e bonita!

    Responder
    • Falou tudo! Esse é um projeto muito especial, que não apenas ficou incrível, mas também valoriza e incentiva o artesanato regional brasileiro. 🙂

      Responder
  2. Ai…ai… casa dos meus sonhos… que cantinho linnndddooo!

    Responder
  3. Não posso me hospedar em um lugar desse. Não voltaria para casa.

    Responder
  4. Que lugar lindo, mais uma matéria maravilhosa.

    Responder