Uma reforma para trazer luz e aconchego

Adaptações certeiras tornaram esse apê mais gostoso de ficar

No centro de São Paulo, mais precisamente no Edifício Eiffel, planejado por ninguém menos que Oscar Niemeyer, a diretora de produção Maisa constrói a sua rotina em um duplex iluminado com vista para a Praça da República. Para a moradora, viver em um prédio tão simbólico e importante para a arquitetura da cidade acabou acontecendo por acaso, pois justamente ali ela encontrou os requisitos e particularidades que a conquistaram. “Foi uma questão de sorte. Dois pontos me fizeram decidir pelo apê: a área comum do prédio – uma espécie de miniquintal – e o fato de 2 grandes amigos também viverem aqui”, ela diz.

No edifício, a disposição invertida dos apartamentos chamou a atenção da produtora. Na maioria dos imóveis, os quartos foram acomodados no andar de baixo, enquanto a sala e a cozinha são acessadas pelo piso superior, onde fica a porta de entrada. Em seu duplex, a configuração não é diferente, e mesmo após uma intensa reforma, diversos elementos originais da construção foram mantidos. Sob comando do escritório de arquitetura Sub Estúdio, encabeçado por duas amigas queridas da moradora, a obra garantiu que os tacos de madeira existentes permanecessem na sala e no quarto, assim como o granilite no piso da escada. Para completar, os famosos cobogós da fachada foram restaurados na cozinha, filtrando a luz e a vista para a praça.

Após a reforma, Maisa conta que a decoração aconteceu sem que houvesse um planejamento. Para ela, nada tem lugar certo ou eterno, e o clima do apartamento vai se formando à medida em que encontra peças por aí e decide levá-las consigo. “Tem uma série de coisas, inclusive presentes muitos marcantes, que constroem o caráter da casa e pontuam momentos importantes da minha vida. Falar de um deles apenas seria esquecer dos outros. Mas hoje, nesse exato instante, o objeto que eu mais gosto é uma cobra que trouxe de Cabo Verde, entalhada por uma tribo senegalesa”, ela explica. 

Além desses itens que carregam muito afeto, as inspirações trazidas para o apê são geralmente ligadas às pessoas que a moradora admira: “Gosto das relações e conexões que algumas pessoas conseguem construir com arte, natureza, religiosidade…”, diz Maisa. Na casa, apesar de aproveitar todos os espaços igualmente, ela confessa ter o momento do banho como palco para seus insights e reflexões. Não à toa, o banheiro ganhou atenção especial das arquitetas durante a obra. Com poucas paredes e muita iluminação natural, o ambiente traz o aconchego e a tranquilidade que Maisa buscava.

O lar de Maisa é um lugar com muitos rituais – algo fácil de notar pela quantidade de cristais e velas espalhados pelos espaços. “A casa inteira é cheia de mandinga. Eu sou macumbeira, rs”, ela brinca. As plantas também fazem parte dessa rotina de cuidados e busca por bem-estar. A moradora diz que sua coleção de espécies ainda é uma humilde tentativa de ter um pedacinho da mata dentro do apê, mas a ideia é que o número de vasos só cresça com o tempo – afinal, para ela as plantas são fundamentais.

Pensado em cada detalhe, o apartamento traduz os sonhos e vontades da moradora. “O espaço foi completamente reformado. O processo foi longo e com muitas mudanças de rota. Nunca é fácil, mas no final vale a pena”, ela conta. De fato, chegar em casa e saber que é exatamente ali onde se queria estar é o que define o verdadeiro significado da palavra lar.

Fotos por Ricardo Faiani

ONDE ENCONTRAR

PEÇAS INSPIRADAS NESSA HISTÓRIA

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 33

  1. olá! maravilhoso esse apartamento! estou apaixonada por esse tapete da sala, vocês sabem de onde é ou onde posso achar algo similar? obrigada 🙂

    Responder
    • Oi Patricia, tudo bom?
      Não conseguimos descobrir de onde é o tapete, mas nos parece ser de família ou garimpado. Talvez encontre em antiquários online ou até feiras, como a do Bixiga ou a feira de antiguidades e design que rola no MuBE. Bjs

      Responder
  2. Lindaaa. Gostaria de saber o nome do tom de rosa do armário da cozinha e a madeira também, por gentileza 🙂

    Responder
  3. Oiê, vocês sabem informar de onde é o sofá? obrigada, saudações

    Responder
  4. adorei toda a casa!
    Muita luz, o wc é lindo!!

    Responder
  5. Estou me mudando para um imóvel com tacos de madeira e gostaria de saber se a galera passa algum produto nos quadros pois,fiquei sabendo que aquele tampo da parte de trás deles é chamarisco pra cupim.Bjos!

    Responder
    • Oie, td bom?
      Nossa, difícil saber. A gente não sabia dessa história do fundo dos quadros ser um risco, mas não custa passar aquele veneninho anti-cupim no fundo. Melhor prevenir, né? Bjs

      Responder
  6. amo esse site! <3

    Responder
  7. Companheira, sua casa é linda! Tem bom gosto em tudo! Uma decoração leve, aconchegante, bem arrumada, com harmonia nas cores! As plantas dão um charme a mais e traz vida! Adorei o cobogó, bem brasileiro! Camarada, você está de parabéns! E esse blog é tudo de maravilhoso!

    Responder
  8. Acompanho o trabalho de vocês por aqui e no YouTube mas raramente comento, contudo é impossível ficar indiferente a este apartamento. Parabéns às arquitetas e em especial a proprietária pois a decoração ficou maravilhosa ❤️ “Ai que sala linda”, na sequência “gente, o que é essa cozinha, com essa luz, gostei mais que da sala”, daí chega o banheiro “meu Deus que banheiro!” Tudo é lindo! Que encanamento aparente é esse? Como foi feito? Ah, já anotei aqui no caderninho de viagem “quando for a Cabo Verde comprar a cobra de madeira da tribo indígena “.

    Responder
    • Oie, tudo bom?
      Que demais que acompanha o blog há tempos. Ficamos super felizes. 🙂
      Esse apartamento realmente é de uma leveza sem igual, adoramos. O encanamento do banheiro foi feito com canos de cobre mesmo. PS: tbm curtimos a cobra.
      Beijos

      Responder
  9. De onde é o quadro em p&b da mulher com moldura dourada em cima do sofá? é lindo!

    Responder
  10. Pra sonhar.Gostaria de saber onde a moradora comprou esse arranjo de ramos que está em cima da mesa de jantar.

    Responder
    • Oi, tudo bom?
      Não sabemos onde ela comprou, mas são ramos de eucalipto secos. Dá para comprar os eucaliptos frescos (verdinhos) e depois que secam ficam assim, lindos também. Bjs

      Responder
  11. Que casa gostosa, delicada, já foi pra pastinha de referências, tanta coisa linda, as cores, a luz, o piso da cozinha, o revestimento do banheiro, a porta do box, o encanamento aparente do chuveiro… (em tempo, com tanta coisa linda, quem se importa com a máscara do Lula e a posição política da proprietária? eu, hein? ). MARAVILHOSO!

    Responder
    • Oi Maíra, tudo bom?
      A casa da Maisa é leve e acolhedora né? Tão iluminada e astral, nós gostamos muito também. 🙂

      Responder
    • Nossa, pensei a mesma coisa, fora a máscara desse e o quadro do outro, tudo é lindo, inclusive o rosa de que nem sou fã deixou o ambiente leve!

      Responder
  12. Fiquei encantada com esse apartamento. Amo o site e as ideias, que acho incríveis. Ambientes aconchegantes, com elegância, muito verde e leveza. Sou fã de vocês. E agora ainda mais, pois no posto UMA REFORMA PARA TRAZER LUZ E ACONCHEGO, vi fotos de Che e de Lula no apê. Isso demonstra que vocês são contra o fascismo e todo o tipo de preconceitos, inclusive quando postam lares de casais homoafetivos. Adoro vocês. Um grande beijo!

    Responder
    • Oi Iris, tudo bom?
      Que demais saber que acompanha o blog há tanto tempo. Ficamos muito felizes que curta! Obrigada pelo carinho, isso nos incentiva demais. Beijos! 🙂

      Responder
    • Uma dica: Não gostar do homofóbico, assassino, racista e torturador Che não significa ser fascista. Sugiro que você volta pra escola. Está precisando.

      Responder
  13. Adorei! achei especial a máscara de lula alí na estante! ahhahaa

    Responder
  14. Casas nos contam narrativas de vida! Adorável essa casa! Adorável a pessoa que nela habita! A marcenaria rosa aquece, a cobra senegalesa encanta e o beijo de Klimt no dormitório entrega a alma apaixonada de uma mulher que se mostra sem temores, porque, afinal, perder a ternura? Jamás!

    Responder
    • Oi Fátima, tudo bom?
      O apê da Maisa é demais, né? Também gostamos de como ela deu (e ainda está dando) vida e bagagem aos espaços. 🙂
      Beijos

      Responder
  15. lindo. mas essa mascara do LULA …. hum

    Responder