Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio. 

Casa nova, vida nova. Há exatamente 1 ano, Ana e sua família se mudaram para um apartamento delicioso em Higienópolis, mesmo bairro em que viviam anteriormente. O que os levou a essa troca de endereços foi a vontade de ter um espaço totalmente deles, pois o antigo apê era alugado e isso sempre acaba trazendo uma ou outra limitação. Se antes a decoração já era personalíssima e repleta de elementos instigantes, nesse novo imóvel os ambientes trazem uma explosão ainda maior de referências, cores e estilos. Agora, sim, Ana pode ocupar o apartamento com completa liberdade – e o resultado só poderia mesmo ser incrível.

Ana tem muitas facetas, porém todas elas trazem a autenticidade como elemento principal, então naturalmente seu lar seria um reflexo desse talento. Designer de interiores e de produtos, ilustradora, consultora criativa… a lista de carreiras paralelas não para de crescer. Mas, enquanto a vida profissional se mantém a mil por hora, em casa Ana busca cada vez mais a tranquilidade e uma rotina mais leve na companhia do marido, o cineasta e roteirista Dennison, e seus filhos, Max e Noah. E a escolha do apartamento teve tudo a ver com esse novo momento: a grande varanda com jardim dá um ar de casa, duplicando o aconchego da família.

Outra coisa que chamou a atenção de Ana no apê foi o fato de ele estar em bom estado, sem que fosse preciso fazer uma grande reforma. As esquadrias estavam conservadas, o piso de madeira de demolição tinha potencial e a cozinha era novinha, então a moradora acrescentou poucos elementos, como a porta de correr para isolar a cozinha se necessário ou as portas de serralheria no escritório. Uma mudança que fez bastante diferença foi o tratamento de clareamento realizado no piso: “Por ser no primeiro andar, o apê não é tão iluminado quanto o antigo. Então foi essencial essa adaptação”, ela explica. Todo o projeto foi feito ao lado de sua mãe, a arquiteta Regina, com quem Ana assina diversos trabalhos.

O estilo da designer fala por si só, então a decoração é algo muito intuitivo para ela. “Aqui, a principal referência que eu queria era planta, uma casa que se estendesse para o jardim. Por isso estava com tons determinados na cabeça, como o sofá camelo, madeiras mais claras… No mais, procurei trazer o meu estilo para essa casa, mas talvez acalmar um pouco em relação ao outro apartamento, com essa história das plantas e dos tons mais terrosos misturados com preto e branco e cor nos detalhes”, ela diz. * Para quem não lembra, já publicamos o antigo apê da família aqui no blog, então vale conferir para comparar o que mudou. 

Quase todas as peças do outro endereço foram reaproveitadas, sendo que várias delas passaram por transformações, como o próprio sofá. “Acho que reaproveitar as coisas que você tem em um novo espaço é a oportunidade de um novo olhar”, fala. Mas é claro que Ana não perderia a chance de ampliar seu acervo com alguns itens que queria muito: o carrinho de chá do designer Alvar Aalto, uma poltrona vintage de vime, cadeiras com ar escandinavo e muitos vasos de plantas. A luminária de piso de papel ao lado do sofá é do designer Isamu Noguchi e foi um presente de seu marido, então também entra nessa lista de xodós.

Talvez uma das coisas que mais chame a atenção no apartamento são as paredes tomadas por obras de todos os tipos. Ana brinca que cada conjunto de quadros tem um tema: no escritório ficam os mais coloridos, com ar pop; na parede atrás da TV o casal concentrou obras em preto e branco, com molduras de madeira, objetos, panos e pratos misturados; e tem ainda a parede mais romântica, atrás de um aparador industrial. Aliás, esse móvel era antes uma ilha de cozinha na casa antiga e virou uma peça com mais destaque. “Gosto de fazer um mesmo tema e mesclar texturas e materiais. Estou sempre adquirindo obras novas. Ou trago de alguma viagem, ou de algum amigo meu, de uma exposição, lojinhas de museus…”.

Com sala e quartos voltados para o jardim, além da cozinha integrada, o apartamento contribui para que a família esteja sempre juntinha. “Eu acho minha casa bastante confortável. Isso é prioridade pra mim, mas é uma casa feita com amor, com emoções, com peças que trouxemos de momentos que a gente viveu, junto com um pouco do que eu admiro em termos de design e arte. Tudo misturado de uma maneira aconchegante e criativa”, Ana define. * Apaixonados pelo apê? Então não deixem de conferir o Capítulo 2 também!

Fotos por Maura Mello

CONTINUA