“Para nós não há nenhuma cidade como Lisboa. Ela é única, tanto pelo seu clima, como por sua linda luz”, declaram Pureza e Pedro. Mesmo tendo morado em outros lugares ao longo da vida, como Londres, Valência e Madrid, eles não abrem mão das origens e são apaixonados por seu país, por isso se alegram em estar de volta à Portugal. Seu apartamento, instalado em um prédio de poucos andares que costumava funcionar como uma casa de penhores, reflete essas experiências vividas internacionalmente, ao mesmo tempo em que traz elementos tradicionais e peças assinadas por marcas locais.

Pureza acredita que uma boa decoração é feita com calma, conforme os pequenos tesouros vão cruzando seu caminho – e é exatamente por isso que seu lar é tão autêntico. “Uma boa dica é não comprar a primeira peça que vemos. E não desistir de pesquisar/procurar aquilo que realmente nos preenche e vai de encontro com a nossa personalidade. As viagens são um momento muito importante nesta construção de detalhes”, ela explica.

O casal não costuma cozinhar muito, mas mesmo assim o ambiente foi pensado com todo o carinho pela moradora durante a reforma. Os armários com puxadores dourados do tipo concha e o revestimento de parede trazem um ar vintage à decoração, garantindo o aconchego. No banheiro, o destaque vai para os azulejos em tom de verde e o contraste que eles criam com os espelhos de molduras douradas. “Adoro o padrão dos azulejos do banheiro. A fotografia é linda também. É da artista portuguesa Carolina Pimenta. E o quadro de borboleta foi comprado em Paris, no mercado de Natal da Ville Rose”, Pureza lembra.

A brincadeira com as cores na decoração aparece de forma mais contida no quarto da moradora. As peças maiores, como a cabeceira da cama e as mesinhas de apoio, exibem tons neutros, enquanto os pequenos adereços coloridos trazem aquele ar divertido que Pureza adora. O quarto de Rosa, por sua vez, é pura delicadeza. “Esse espaço foi feito com muita dedicação. O papel de parede é uma peça essencial que corrompe o estilo clássico de quarto de bebê e que dá logo o tema ao quarto”, ela conta. Diferentes texturas naturais completam o clima inspirado no painel de animais – o berço, por exemplo, é de bambu, e um galho caído serve como arara.

Com sua intuição, Pureza conseguiu criar uma decoração linda e pessoal sem muita complicação. Peças com história, relíquias garimpadas em viagens, itens reaproveitados e muita cor delineiam cada canto do apartamento, transformando o endereço em um refúgio acolhedor para a família e os amigos. “Cada peça que está aqui – da menor à maior – faz da minha casa um lar”.

Fotos por Alessandro Guimarães