O talento de Carol e Patrick para garimpar peças incríveis é a primeira coisa que chama a atenção em seu lar. Uma explosão de informações, cores e texturas toma conta dos espaços no apartamento de 145m² em Santa Cecília. Ali, o casal e seus três filhos descobrem ou inventam novas histórias todos os dias: “Ter um lugar que integre a família e faça todos se sentirem acolhidos faz com que você tenha um porto seguro”, Carol diz. * Ainda não leu o Capítulo 1? Veja o post completo AQUI.

Desde o início o casal queria fugir das grandes reformas, e na cozinha não foi diferente. Para conseguir deixar o ambiente mais bacana sem nenhum quebra-quebra e gastando pouco, eles buscaram soluções que desviassem a atenção dos elementos que não gostavam tanto, como a cor da cerâmica do piso. “Pintamos os armários antigos de mostarda e preto para contrastar e trabalhamos com essa ideia do imperfeito. Moveis rústicos de madeira deixaram a cozinha com uma cara de fazenda”, explicam. Os azulejos brancos e a porta de ferro, ambos originais do apê, ajudam a deixar o espaço com ares de casinha.

Ao invés de quartos de criança perfeitinhos e com móveis embutidos combinando com os acessórios, Carol e Patrick fizeram uma decoração mais solta, sem regras ou estilos definidos. As cabanas eram da Tote, marca que o casal concebeu antes de criar a loja infantil A MINi, e o restante das peças é uma mistura de garimpos. “A ideia é a criança levar para a vida os objetos da infância, criar uma memória afetiva. Adoro móveis e itens que se encaixam na sala, no quarto, mudam de formas e usos no futuro”, a moradora fala.

O interesse do casal pelo universo infantil se intensificou com a chegada da primeira filha, mas Carol é também estilista, por isso o design sempre fez parte de seu cotidiano. Durante o período em que viveram no Canadá, eles se aproximaram do estilo escandinavo, com suas formas lúdicas e uma integração natural entre o mundo dos adultos e o mundo das crianças. “Isso para nós foi muito forte. Foi o ponto de partida para criarmos a Tote, e em decorrência A MINi, com uma curadoria que fortalece esse vínculo sem banalizar o infantil e ao mesmo tempo despertando a criança que há em nós”. A empreitada está crescendo tanto que o projeto iniciado como uma feira de pequenos produtores já virou uma loja física, e assim mais pessoas podem ter acesso.

O quarto do casal também tem muitas estampas e tons, mas, segundo Carol, é um dos espaços mais minimalistas do apartamento. Ali, itens ‘herdados’ de produções feitas por ela acabaram encontrando um lugar para ficar: o cavalinho de carrossel Blue, por exemplo, já foi usado em muitos cenários e hoje virou uma luminária; a placa de ‘Barraca do beijo’ também veio de uma produção e a cabeceira de lambe-lambe é resquício de um stand.

Com coisas de todos os tipos, cores, épocas e formas, o apartamento dessa família é um caleidoscópio de inspirações – e tudo pode mudar de repente para dar origem a uma nova composição. “Acho que toda casa merece cuidado. Ela não tem que ser perfeita, mas tem que ter carinho”, Carol define.

Fotos por Isadora Fabian, do Registro de Dia a Dia

[galeriaProduto produtos=”948,946,947″]