Diferentes materiais no mesmo espaço

Apartamento integrado prova que é possível mesclar acabamentos

É fácil se apaixonar pelos espaços amplos e luminosos no apartamento da arquiteta Ursula e do educador Vinícius – difícil é acreditar que o lugar um dia já foi escuro, mal distribuído e nem um pouco acolhedor. A moradora brinca que era preciso ter uma visão de raio-X para conseguir enxergar o potencial do imóvel além dos acabamentos destruídos, da sala apertada, do carpete sujo e dos cômodos compartimentados. No entanto, ao invés de desanimar diante do cenário nada inspirador, Ursula decidiu abraçar a empreitada e transformar de uma vez por todas o antigo apê.

“Embora o apartamento estivesse em péssimas condições, ele tinha o que eu precisava para transformá-lo: era bem servido de janelas e o sol entrava por elas, então só era preciso planejar melhor para que tudo ficasse mais iluminado e ventilado. A fluidez dos espaços não é só importante para a estética, mas também para a saúde. Sentir-se bem na sua própria casa engloba tudo isso”, ela explica. O resultado é que em apenas 4 meses de obra os 85m² do apê parecem ter dobrado de tamanho.

Na família de Ursula a cozinha sempre foi o coração da casa, por isso ela cresceu com a sensação de que tudo gira em torno desse lugar. “Para nós, a cozinha é uma tradição. De um lado da família a comida é o que nos une, pois é algo que compartilhamos e fazemos juntos. Do outro, a comida é o trabalho, porque alguns familiares são donos de restaurantes, bufês ou escrevem sobre o tema. Então não teve como escapar dessa história”, ela diz. Logo, não fazia sentido confinar esse espaço entre quatro paredes. Totalmente integrado, o apartamento une cozinha, lavanderia, sala, área de jantar, escritório e quarto em um único ambiente – tendo apenas cortinas discretas como divisórias (e na verdade elas estão quase sempre abertas).

“Aqui tudo flui com naturalidade: o prato vai da panela para a mesa, os amigos conversam ao lado do fogão, a parte chata de lavar a louça se torna alegre e compartilhada… por todos esses motivos, a cozinha e a sala de jantar são pontos importantíssimos da casa, é onde ela pulsa. Por isso precisam de destaque, beleza e funcionalidade”, a arquiteta define. Ursula conquistou todos esses atributos ao posicionar a mesa de jantar no centro da planta e ao usar acabamentos criativos para delimitar as funções dentro do espaço sem barreiras.

* Veja após as fotos dicas de como combinar materiais diferentes…

Dicas de como combinar diferentes materiais

* Para delimitar funções: Quem disse que a única maneira de separar ambientes é usando paredes ou divisórias? Ursula demarcou as diversas funções de seu apê integrado usando o piso como ponto de partida – os diferentes revestimentos definem as características de cada espaço. “Deve-se tomar cuidado para que não fique carregado. No meu caso, optei pelo piso de madeira nos ambientes de descanso e permanência (quarto, sala e escritório); pelo ladrilho hidráulico estampado na entrada e na sala de jantar; e pela pastilha preta nas áreas molhadas (cozinha e banheiros)”, ela conta.

* Assumindo detalhes originais: Outro acabamento que entra na lista dos materiais usados pela arquiteta é o concreto, exposto nas vigas descascadas após a obra. “Minha opção foi deixar a estrutura aparente e assumir essa estética. Temos que assumir as verdades do espaço, da história e dos materiais. Dessa maneira o resultado será sempre original”.

* Cores que se complementam: A maioria dos acabamentos tem tons neutros, (como a madeira, o concreto e as pastilhas) o que faz com que o ladrilho hidráulico colorido chame ainda mais atenção. Para ‘amarrar’ todos os materiais e cores, Ursula pintou um trecho da cozinha com uma tinta avermelhada muito semelhante ao tom usado no piso – dessa forma o conjunto fica ainda mais harmônico.

Fotos por Gisele Rampazzo

Onde Encontrar

Peças inspiradas nessa história

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


COMENTÁRIOS # 22

  1. Aiiii gente eu não sei se eu amo mais todas as histórias que leio aqui , ou esse respeito, atenção com cada msg , cada dúvida .
    Parabéns mais uma vez e muito obrigadaaa.

    Reply
    • Eba!!!! Que amor… Muito obrigada 🙂
      Sempre tentamos caçar as informações que vocês pedem, então ficamos felizes em poder ajudar. Beijos!!!!

      Reply
  2. Lindo projeto!!! Vcs saberiam dizer de onde são as cadeiras laterais de base metálica da mesa de jantar e o buffet?

    Reply
  3. Muito obrigada.Vocês são um doce,assim como o blog.Beijos!

    Reply
  4. Lindo o apartamento. A cada matéria fico com mais vontade demudar tudo em casa.

    Reply
  5. Gente, eu queria mais informações sobre a estante da sala, por favor!

    Reply
    • Oi Kate, tudo bom?
      Nós adoramos esse tipo de estante. Ela foi feita com trilhos fixados na parede na vertical. Na Leroy Merlin, por exemplo, você encontra trilhos desse tipo. (http://www.leroymerlin.com.br/trilhos-para-prateleira). Depois de parafusar os trilhos, você encaixa suportes neles (esses suportes são como mãos-francesas, sabe?). Depois é só apoiar as prateleiras sobre os suportes… Nesse post aqui tem mais diquinhas: http://bit.ly/2p5skXf
      Espero que ajude! Beijos

      Reply
      • Quanto cuidado pra responder, minha gente, obrigada! Vocês são incríveis demais, amo! <3

        Reply
        • Ahhhh, que alegria ler isso Kate. Obrigada!!! Espero que tenha esclarecido um pouco como são essas estantes… Beijão

          Reply
  6. Que apartamento mais lindo !
    Adorei o uso das cortinas pra delimitar o espaço .
    Sabem me dizer que material é esse usado nas cortinas ?

    Parabéns , blog inspirador !!!

    Reply
    • Oi Priscila, tudo bom??
      Ownnn, obrigada. Ficamos felizes por saber que vc está gostando do blog. 🙂 A moradora esqueceu qual é o tecido das cortinas, mas ela vai tentar descobrir. Aí te avisamos! rs
      Beijos

      Reply
    • Oi Priscila!
      Descobrimos o tecido da cortina: é um Oxford na cor cinza. Espero que ajude! Beijos

      Reply
  7. Lindo esse ap!!!
    Vocês como sempre arrasando muito.

    Meninas, sera que conseguimos o contato de quem fez os armários da cozinha?

    Bj

    Reply
    • Oi Bruna! Uhuuu, obrigada ♥
      Checamos com a moradora quem fez os armários, mas ela nos explicou que a marcenaria já não existe mais. (Faz uns seis anos que ela mora no apê). Uma pena né?
      Beijos!

      Reply
    • Oi Bruna, fico muito contente que você tenha gostado! A marcenaria que executou esse projeto não existe mais. Mas o que você precisa é de alguém que te faça um desenho determinando dimensões, materiais, cores, detalhes. Depois é só executar em qualquer marcenaria. Peça para um bom arquiteto fazer um desenho pra você e ele com certeza conhecerá um bom marceneiro para executar. Beijos!

      Reply
  8. Interessante mesmo a forma como ela solucionou os “problemas” da planta original do imóvel e trouxe bastante criatividade para sua casa! A área delimitada pelos ladrilhos é muito convidativa!

    Reply
  9. Tudo bem, meninas? Eu sempre tive uma curiosidade a respeito do custo final de uma reforma dessa. Seria possível informar, só por alto? E essa rede, poderia informar onde encontro? Obrigada. Abraços!

    Reply
    • Oi Adriane, tudo bom e você? 🙂
      É um pouco difícil determinar o custo de uma obra, porque são muitas variáveis: metragem, condições originais do espaço, quantidade de alterações, etc. Mas a arquiteta nos passou uma média de R$ 1.000,00 a R$ 1.500,00 por m² para uma obra com essa extensão (quebra-quebra, novos acabamentos, mudança de layout, etc…).
      A rede foi trazida de Recife, um presente da irmã da moradora.
      Beijão

      Reply

NOS VEMOS NO INSTAGRAM
@historiasdecasa