Luminárias amarelas, bancada lilás, parede cinza, banquinho rosa… no apartamento da designer de interiores Patricia e do advogado Leandroo que não faltam são cores alegres e objetos divertidos – aliás, para cada canto que se olhe é possível encontrar pequenas curiosidades, como os inúmeros bonecos toy art ou os pratos estampados pontuando as paredes. O casal se mudou para o endereço na zona sul de São Paulo há cerca de quatro anos e desde então as coleções criativas não pararam de crescer. O segredo para fazer tudo isso caber em 97m²? Uma sala multifuncional integrada à cozinha e à varanda.

Quando Patricia e Leandro compraram o imóvel ele estava novinho, conforme entregue pela construtora, porém a distribuição original dos cômodos não era exatamente o que eles tinham em mente. A moradora enxergou ali uma tela em branco e logo agarrou a oportunidade de criar um apê prático, com muita personalidade e espaços otimizados. Bem objetiva, a reforma durou pouco: em apenas três meses de obra a sala foi ampliada, o banheiro de serviço virou um lavabo e os móveis desenhados pela designer foram instalados. Isso sem falar nos acabamentos da varanda e do living, também escolhidos por ela.

“A sala integrada traz amplitude ao apartamento, além de proporcionar uma convivência mais agradável. Assim estamos sempre juntos”.

Com menos paredes e mais iluminação natural, o espaço acomodou com facilidade os itens queridos do casal e de quebra ganhou uma decoração com elementos marcantes, como os tijolinhos, o piso que imita cimento queimado e os quadros delicados criados pela própria moradora com nanquim e aquarela. “Nossa casa tem muitos detalhes, cada um com a sua história, importância e afeto. O apê ficou com a nossa carinha, bem colorido, cheio de vida e com uma energia super do bem. A casa tem que ser um lugar planejado para a gente ser feliz, e isso as outras pessoas também sentem! ”, ela completa.

Dicas de decoração para uma sala integrada

* Home office enxuto: Patricia também usa a sala para trabalhar (seja elaborando seus projetos ou produzindo ilustrações sob encomenda), por isso ela precisou criar uma bancada de trabalho que facilitasse a organização no dia a dia. Além do móvel principal, a moradora conta com o apoio de mesinhas para manter revistas de referências e canetas coloridas sempre à mão.

* Um toque de improviso: “Posso dizer que acumulei uma grande bagagem de referências e hoje as aplico em meu estilo de decoração”, a designer explica. O móvel de aço ao lado do sofá, por exemplo, normalmente é usado como carrinho de bebidas, mas nesse caso virou mesa lateral. Já as estantes brancas e básicas foram incrementadas com caixas soltas de madeira clarinha – barateando o projeto.

* Tesouros à mostra: Desde que se casou, a moradora começou a colecionar itens de decoração que chamavam sua atenção – objetos garimpados em feiras, toy arts trazidos de viagens, velas perfumadas… e todos eles possuem lugar garantido no apartamento. “Acredito que cada pessoa tem sua visão de arrumação e dentro dela o importante é dispor as peças de forma que elas apareçam e deixem o ambiente mais alegre. Na minha casa tem muita informação, então procuro dispor livros com objetos e plantas para balancear”, explica.

* Cores e mais cores: A base da decoração do apartamento é neutra – piso cinza, paredes brancas, móveis claros – porém os tons fortes se fazem presentes por meio dos acessórios, como almofadas, quadros e luminárias. Assim é fácil substituir uma peça ou outra caso você enjoe com o tempo. “As cores têm um poder muito grande sobre nós, modificam nossos comportamentos e sentidos. Minha dica é pesquisar sobre a influência de cada cor e, se possível, buscar a ajuda de um profissional”, completa Patricia.

Fotos por Rafaela Paoli