Esse post faz parte de uma série de matérias produzidas em parceria com a branco., a mais nova marca do grupo Bobinex, com 50 anos de experiência no mercado de papel de parede. Assim como nós, a marca acredita que uma casa com personalidade faz toda a diferença e que o papel de parede é uma ótima maneira de transformar os espaços – afinal, enfeitar o que está ao seu redor também é um jeito de se transformar. 

A designer de interiores e artista multidisciplinar Ana aproveitou os cômodos amplos de seu apartamento no bairro Higienópolis para colocar em prática tudo o que não era possível nos imóveis compactos em que morou durante uma temporada em Nova York ao lado do marido, o o cineasta, diretor e roteirista Dennison. Marcada por memórias de diferentes fases da vida, a decoração é uma mistura eclética de coisas que ela mesma fez, peças herdadas de sua família, itens vindos do exterior e obras assinadas por artistas que o casal admira. Para acompanhar essa história desde o começo, leia também o Capítulo 1.

Hoje Ana transita entre diversas áreas, da ilustração à direção criativa, passando pela decoração e pelo design de produtos, mas seu encanto pelo desenho vem de longe. Quando criança ela se divertia com canetas e lápis coloridos, dizendo que queria ser pintora um dia. Por um tempo esse talento ficou adormecido, até que em um momento de ócio em NY a designer começou a rabiscar estampas aleatórias em capas de revistas. De repente, além de se reencontrar com aquele sonho de infância, ela deu início a um novo projeto que ganharia o mundo, o Re.Cover, no qual cria intervenções cheias de cor em imagens feitas por expoentes da moda.

A partir daí, atuar em múltiplas frentes acabou acontecendo naturalmente: “Independente da área, busco projetos que tenham envolvimento. Nas horas em que eu trabalho mais com decoração, sinto um pouco de saudade das canetas e vice-versa, mas adoro essa liberdade de ser multi.”. Para equilibrar a carreira agitada com o nascimento de seus filhos, os gêmeos Max e Noah, Ana montou seu home office em um dos três dormitórios do apê, a poucos passos do quarto das crianças. Ali a mesa de escritório fica rodeada de materiais de desenho e pintura, além de objetos de design trazidos de fora, como o carrinho com papéis e afins. Na parede oposta, três prateleiras suspensas acomodam livros, revistas e mais memórias queridas.

21-decoracao-escritorio-colorido-ana-strumpf

22-decoracao-retrato-ana-strumpf-escritorio

23-decoracao-retrato-ana-strumpf-escritorio

24-decoracao-escritorio-colorido-ana-strumpf

25-decoracao-escritorio-colorido-ana-strumpf

26-decoracao-prateleiras-almofadas-coloridas-cor

Amplo e bem iluminado, o quarto principal também reflete o gosto da moradora pelo mix de estilos e épocas. A grande cômoda de madeira, por exemplo, é de seus tempos de solteira e a acompanha aonde for; já a outra, que apoia a vitrola antiga e tem pintura cinza, veio de uma loja de departamentos sueca. Os discos e livros que o casal tem curtido ultimamente ficam guardados em um nicho, enquanto as joias de Ana são organizadas em delicados bowls e pires de porcelana das mais diversas cores. Para poupar espaço no guarda-roupa, as bolsas acomodam-se em ganchos de parede.

Decorado por último, o cômodo ganhou recentemente um complemento muito especial: o papel de parede Floresta, nascido da parceria entre a designer Ana Strumpf e a marca branco.. Criada em 2015, a marca aposta em estampas exclusivas assinadas por um time de peso, então, além de Ana, o catálogo de produtos inclui papéis desenvolvidos por nomes como Calu Fontes, Joana Lira e Marcelo Rosenbaum. Capaz de transformar por completo o clima de um ambiente, o recurso surpreendeu até mesmo a moradora, que nunca havia trabalhado com um desenho de dimensões tão grandiosas.

27-decoracao-quarto-casal-papel-de-parede-branco

28-decoracao-quarto-casal-papel-de-parede-branco

29-decoracao-papel-de-parede-branco-ana-strumpf

30-decoracao-papel-de-parede-branco-ana-strumpf

31-decoracao-quarto-criado-mudo-comoda-vintage

Com a medida perfeita para os berços dos gêmeos e ainda um espaço livre para as brincadeiras no piso, o quarto de Max e Noah sofreu alterações simples, porém de grande impacto. Como o apartamento é alugado e já possuía bons armários embutidos, Ana apenas usou um truque com tinta colorida para mudar o visual do ambiente – as paredes foram tingidas de azul em dois terços de sua altura, dando a impressão de que o pé-direito é maior. Nascidos durante o período em que o casal ainda morava em Nova York, os irmãos passaram sete meses em um quarto improvisado, por isso dessa vez a designer fez questão de incluir na decoração tudo o que eles tinham direito: cortina estampada, caixas de brinquedos, móbiles e um adorável tapete de bolinhas, entre outros mimos.

32-decoracao-quarto-bebe-azul-cores-gemeos

33-decoracao-quarto-bebe-azul-berco-madeira

34-decoracao-quarto-bebe-pintura-azul-armarios
35-decoracao-quarto-bebe-pintura-azul-prateleira

36-decoracao-quarto-bebe-pintura-azul-prateleira

Seja através dos quadros, que ocupam boa parte das paredes, das cores, usadas com inteligência, ou dos móveis e relíquias, cada qual com uma origem, o apartamento de Ana e Dennison tem alma – e uma alma única. Até mesmo os detalhes arquitetônicos, como o piso de marchetaria e as imensas janelas típicas dos imóveis antigos, parecem ter sido escolhidos a dedo para o casal. É aí que entra um dos maiores talentos da moradora: transformar espaços vazios em lugares pulsantes e cheios de histórias.

Fotos por Alessandro Guimarães

modelo-banner-footer