Uma casa e todas as memórias que ela guarda não podem ser resumidas de uma vez só, então por aqui fazemos diferente. Ao invés de concentrar todos os detalhes e fotos em uma única matéria, criamos pequenos capítulos para que você possa curtir essa visita durante vários dias. É só acompanhar a ordem pelo título dos posts e apreciar o passeio sem se preocupar com o relógio.

Talvez seja por conta da luz chegando pela varanda, ou então pelas plantas e objetos cheios de vida dispostos logo na sala de estar. O fato é que basta entrar no apê da Estéfi para perceber que não se trata de uma morada qualquer. Lá, ela e sua família vivem momentos de integração e o espaço possibilita que isso aconteça de forma muito natural. Com 157m², não falta lugar para alocar todos os tesouros e ideias de decoração. E como a criatividade também é elemento de sobra, o bom resultado é sempre garantido!

Estéfi pode ser definida como multifacetada. É, ao mesmo tempo, designer, fotógrafa, crafiteira, ilustradora, cenógrafa e blogueira. No apartamento, em Pinheiros, mora junto com seu marido, o diretor de cinema Pedro, e o filho Téo, de 11 anos. Durante um bom tempo eles viveram nesse mesmo prédio, mas em um apê alugado, onde não podiam se aventurar em grandes reformas e, consequentemente, não conseguiam imprimir suas personalidades nos cômodos do jeito como gostariam. Depois de alguns anos dessa maneira, eles finalmente compraram o próprio espaço, a poucos andares de distância do endereço anterior.

Mesmo prédio, mesma planta, e um universo completamente diferente. Ainda que com alguns móveis reaproveitados, o novo lar de Estéfi contrasta com o de antes, que era marcado pelo estilo neoclássico, com muito mármore, gesso e ferragens douradas. Para a reforma, ela contou com uma arquiteta especial, que está sempre presente em suas mudanças: a irmã Rita, responsável por todos os detalhes da obra, incluindo o desenho da marcenaria.

“A principal alteração foi criar uma nova conexão entre os ambientes da área comum, que ficaram integrados. Fizemos algumas demolições e a retirada do caixilho original entre a varanda e a sala, cômodos que também tiveram os pisos nivelados, ajudando na fluidez da circulação.  Os novos revestimentos e elementos atualizaram todos os espaços. Como exemplo do que mudou, temos a esquadria interna em aço e vidro, a chapa em aço no requadramento do vão da varanda, o ladrilho hidráulico, a bancada em concreto aparente e o nicho no forro em gesso”, conta a moradora.

Para Estéfi, o sentimento de ter feito parte da reforma e de ter a casa adaptada para as demandas de sua família é gratificante, e o melhor de tudo é aproveitar essa convivência do dia a dia nos espaços integrados, que deixam as relações ainda mais próximas. Como ela e Pedro adoram receber, é uma alegria para eles poder ver cada canto do apartamento sendo ocupado por músicas, risos e comemorações. “Nossa festas são muito animadas e temos imenso prazer em ver os amigos felizes!”, diz a designer.

Entre os itens queridinhos que foram mantidos do apê anterior estão alguns tesouros de família, como as poltronas da avó de Pedro, que tiveram o estofado refeito, e as máquinas de escrita e de costura, herdadas dos avós de Estéfi. Na decoração, as inspirações vêm de todas as partes, incluindo viagens e até mesmo o trabalho, uma vez que os moradores lidam com universos bastante imagéticos e criativos. Mas se engana quem pensa que o décor não se dá de maneira organizada: “A gente até leva a sério demais, ninguém prega nada sem três vias de consentimento do outro”, brinca Estéfi.


Ela conta que o clima do lar é exatamente como imaginavam: “Queríamos que a casa contasse algo da gente e da nossa atmosfera, que fosse viva, decorada com coisas que fizessem parte da nossa história”. Para levar essa linha para além do espaço físico, alguns detalhes se tornaram essenciais: a espontaneidade de criar, a energia proporcionada pelas plantas e muita liberdade para que ela, Pedro e Téo se sintam sempre à vontade. * Ei, não perca o Capítulo 2, com mais fotos incríveis e a continuação desse tour!

Texto por Yasmin Toledo | Fotos por Luiza Florenzano

CONTINUA