A gente escreveu essa matéria com a SUVINIL, nossa maior referência quando o assunto é cor na decoração. Juntos, acreditamos que cada história tem uma cor e cada cor tem uma história, e é essa combinação que transforma um ambiente em um verdadeiro lar. Por isso, nos próximos meses nós iremos compartilhar aqui no blog, casas que inspiram pelas suas cores. Fica aqui com a gente para acompanhar essa história de perto.

Os amigos Fernando e Flávio já estão acostumados com a reação de surpresa das pessoas quando eles abrem a porta de sua casa. E realmente, não há quem não fique impressionado com a cena: um apartamento quase todo pintado de rosa – inclusive o teto da sala – e uma coleção de plantas digna de respeito. Logo de cara é possível notar o impacto que as cores podem ter nos espaços e na vida, porém um olhar mais demorado mostra que ainda há muito para ver. Sutilezas tão interessantes quanto a imensidão rosa, como o lustre antigo sobre a mesa de jantar ou os livros de botânica que Fernando adora.

A ideia de compartilhar o mesmo endereço surgiu por acaso, no meio de uma festa, 1 ano atrás. Os dois são amigos há uns 10 anos, e calhou de estarem procurando um apê na mesma época. Flávio, que estava morando em Tatuí, comentou com Fernando que gostaria de voltar para São Paulo e aí eles tiveram o estalo: por que não dividir um apartamento? A empreitada deu certo e em pouco tempo a dupla estava se mudando de mala e cuia.

Desde a primeira visita, Fernando e Flávio se apaixonaram pelo apartamento – ainda que ele estivesse com paredes brancas e um visual bem diferente de agora. Tudo parecia contar a favor, a começar pela localização, no bairro Higienópolis. Por ser antigo, o imóvel tem espaços mais amplos, o que também era perfeito para os amigos. Para completar, os moradores comentam que o clima do apê tem um quê interiorano. “Por mais que estejamos bem próximos à Av. Paulista, temos resquícios de interior – algo legal já que eu sou de Goiânia e o Flávio veio de Tatuí. A vista da sala dá para o Pacaembu de um lado e para a Av. Paulista do outro”, Fernando conta.

Como o apê já estava em boas condições, os moradores não precisaram fazer muita coisa para transformá-lo, mas quiseram aproveitar a oportunidade para criar ambientes autênticos e inesperados. E foi aí que entrou a ideia de pintar quase todas as paredes com a cor Rosa Sapatilha, da Suvinil. Na verdade, a escolha surgiu a partir das plantas. “Já sabíamos que a casa seria dominada pelas folhagens, então pensamos nas possibilidades e veio o rosa. Além disso, esse tom também nos lembra o interior. O vintage misturado com o nosso lance tropical”, explicam. Outro motivo foi a vontade de quebrar o velho paradigma de que rosa é uma cor feminina ou delicada.


Flávio é arquiteto e Fernando foi galerista durante muitos anos, mas agora está em transição para a área da botânica, então o apartamento realmente conta a história dos dois – tudo o que mais os interessa está representado ali de alguma forma. Foi assim também que eles escolheram seguir esse clima vintage tropical, o que acabou guiando a compra de móveis antigos e outros garimpos. “Adoramos as gravuras do J. Borges, por exemplo, e também amamos o painel de parede da branco. que praticamente se mimetiza nesse ambiente da sala”, falam. Os amigos brincam que as plantas são as donas da casa. “Elas cuidam da gente, não o contrário”. Por isso, uma das maiores alegrias de Fernando é quando uma nova plantinha nasce.

Usar o verde das plantas em sobreposição ao rosa da pintura foi uma maneira que os moradores encontraram de valorizar ainda mais as coisas que amam. Além disso, a ideia de criar espaços monocromáticos é bem simples e pode transformar totalmente a casa da noite para o dia. * Quer conferir o restante do apê para se inspirar com outras soluções coloridas? Então não perca os próximos capítulos!

Fotos por Luiza Florenzano

CONTINUA