Quando uma francesa e um brasileiro decidem se casar, o futuro pode reservar alguma mudança de continente, por isso a definição de lar para Violaine e Thiago não se limita à um único espaço físico: “Nosso lar é termos um ao outro, ascendendo nossos sonhos e aspirações”, dizem. Ainda assim, viver em um lugar agradável, acolhedor e recheado de lembranças boas é muito importante também, por isso o casal se empenhou para transformar um apartamento alugado em seu refúgio particular. A pouca separação entre os ambientes favorece o convívio e torna tudo ainda mais gostoso, pois assim os dois podem receber os amigos em casa sem frescura, do jeito que mais gostam.

Vio e Thiago não tiveram pressa para colocar tudo no lugar. Quando se mudaram, trouxeram poucos móveis, mas muitos objetos que os acompanham há tempos, então o apartamento pôde tomar forma lentamente – conforme eles iam descobrindo outros tesouros. Os livros, os discos, as plantas e os itens garimpados em viagens aos poucos ganharam a companhia de novas peças e quadros. Talvez o primeiro espaço que ficou ‘pronto’ e com a cara do casal tenha sido a cozinha, já que eles ocuparam as prateleiras abertas com seus utensílios e temperos trazidos de diferentes países.

A cozinha foi reformada originalmente pelos proprietários do apartamento, que de quebra são arquitetos, mas desde o começo Vio e Thiago amaram a forma como o ambiente foi distribuído, pois permite que cozinhem na companhia um do outro sem aperto. No dia a dia, não é raro encontrar um deles preparando alguma receita deliciosa enquanto o outro senta na banqueta para bater papo e tomar um vinho. Bons vinhos, aliás, não poderiam faltar na casa de uma francesa – em especial na casa de Vio, já que sua família mora no Vale do Loire, uma região com muitos vinhedos na França. “Meus pais ainda vivem na casa na qual eu passei a maior parte da minha infância e adolescência. Adoro ir para lá quando estamos de férias”, ela conta.

Tanto Vio quanto Thiago trabalham com sustentabilidade – ela é gerente de projetos em uma ONG e ele é especialista no tema – então era natural que aplicassem algumas soluções com esse viés no apartamento. “Começamos a juntar potes de vidro para colocar cereais e grãos, e achamos legal usar isso como decoração e ao mesmo tempo como inspiração para cozinhar. Temos uma preocupação muito grande com a redução do volume de embalagens associadas ao consumo doméstico, especialmente de plástico. Também nos preocupamos com a origem dos móveis que compramos. Sempre verificamos se a madeira dos produtos vem de origem sustentável”, explicam. Na horta, criada e cultivada por Thiago com todo o carinho, o casal usa húmus e chorume produzidos em um minhocário escondido debaixo do tanque, então eles sempre têm temperos fresquinhos para usar nas receitas.

A sala de jantar se transformou em um dos cantos mais requisitados do apê depois que o papel de parede da marca branco. foi instalado ali. “Estamos apaixonados por esse papel de parede que trouxe um ar de jardim tropical. Adoramos receber gente em casa e a reação das pessoas é unânime: elas ficam embasbacadas e muitos dizem que parece uma pintura”, Vio fala. Além desse impacto visual, a solução ainda ajudou a disfarçar a caixa de força do apartamento, que ficava nessa mesma parede e agora está totalmente camuflada.

Talvez o quarto do casal seja o cômodo mais compacto de todos, mas isso não impediu que ele fosse tão aconchegante quanto o restante do apê. Para acordarem sempre com a vista do céu, Vio e Thiago posicionaram a cama de frente para a janela: “Para nós cama confortável é assunto sério! O quarto é nosso ninho nas alturas, com a combinação da vista que tem sua leveza reforçada pelo recado do quadro da baleia (Tudo bem às vezes a gente transborda), que compramos de Estela Miazzi”. Com essa posição não sobrou muito espaço para o criado-mudo, então eles optaram por pequenas estantes na lateral – as peças de madeira têm formato de pássaro e foram trazidas da França.

Para completar toda a delícia de morar nesse apartamento, o casal ainda pode curtir o melhor da Vila Madalena, e isso torna a casa ainda mais especial. “Amamos morar aqui, pelo fato de poder andar a pé (não temos carro) em um bairro gostoso com bastante verde e pracinhas charmosas onde até dá para fazer piquenique”. Definitivamente, Vio e Thiago encontraram o refúgio perfeito.

Fotos por Rafaela Paoli