Quem mora em Perdizes, bairro charmoso de São Paulo, provavelmente já paquerou o predinho de esquina onde os arquitetos Vivian e Luis Claudio vivem há sete anos. A construção da década de 1950 tem apenas sete andares, um pequeno jardim na entrada e muitos detalhes interessantes. Há quem diga que esse é o edifício mais antigo de Perdizes e alguns moradores também desconfiam que o projeto seja do arquiteto modernista Rino Levi, mas o casal nunca encontrou nenhum documento que comprove a teoria. Com assinatura famosa ou não, o fato é que o prédio encanta logo no primeiro olhar – e com Vivian e Luis, sócios no Estudio Piloti, não foi diferente.

Os dois sempre gostaram de apartamentos antigos. Primeiro porque eles são bem distribuídos e normalmente têm um pé-direito alto, e segundo porque possuem elementos arquitetônicos originais. Mas nem tudo são flores, é claro. Apês com muitos anos às vezes têm acabamentos detonados e ambientes fechados, então o casal já chegou preparado para uma grande obra. “Fizemos uma reforma total antes de mudarmos, abrindo a cozinha e atualizando os banheiros, área de serviço e pisos. Os caixilhos de ferro, as maçanetas e o taco de madeira são originais, só restauramos. Já a marcenaria foi toda projetada para integrar os espaços e aproveitar cada cantinho”, Vivian explica.

Teve quebra-quebra na área de serviço, reforma no banheiro e até a porta do quarto mudou de lugar, mas a cozinha foi o espaço mais alterado durante a obra. Além de remover as paredes e desenhar uma marcenaria funcional, os moradores usaram cores vivas para destacar ainda mais essa área. “Como adoramos azulejos antigos, garimpamos um modelo lindo que estava novinho e fizemos o painel atrás da bancada”, eles contam. A decoração de todo o apê tem muitos detalhes coloridos, mas ao mesmo tempo é equilibrada pelas paredes neutras e pelos móveis de madeira. “Essa base permite que a cor apareça na marcenaria, nos azulejos e em alguns móveis”, o casal completa.

Vivian e Luis quiseram trazer para o apartamento tudo o que eles mais gostam em arquitetura e decoração: cômodos integrados, móveis de madeira que remetem aos anos 50 e 60 mesclados com peças mais contemporâneas, muitas plantinhas formando um jardim interno perto da janela e quadros que eles foram ganhando e comprando aos poucos. “Curtimos muito itens de design, mas como os ambientes não são tão grandes, procuramos não lotar a casa de coisas. Gostamos de espaços em branco também para equilibrar”, eles dizem.

No sétimo andar do prédio, o apartamento tem uma linda vista da região. A grande janela da sala com peitoril bem baixinho parece trazer o céu e a cidade para dentro, ampliando o horizonte dos moradores, então não é difícil entender porque esse é um dos detalhes que Vivian e Luis mais amam em seu lar. “Desde o início adoramos as dimensões do caixilho e a luminosidade. Além disso, o apê tem a nossa cara, com objetos que curtimos e cantinhos acolhedores!”.

[galeriaProduto produtos=”940,937,938,939,935″]

Fotos por Luiza Florenzano