O mesmo espaço pode assumir diversas personalidades com o passar do tempo. Quando a arquiteta e designer Renata se mudou para o Apto41, a decoração estava totalmente diferente – quase irreconhecível. Na época quem vivia no imóvel de 94m² era seu irmão, então os ambientes tinham uma aura masculina, com muito preto e pouco aconchego. Eles chegaram a dividir o apê durante dois anos e nesse período Renata não mexeu em muita coisa, porém assim que seu irmão voltou para São Luís e ela passou a morar sozinha, um novo mundo se abriu: “A partir daí a brincadeira começou. Além dos objetos decorativos, vieram novos quadros, cortinas, tapete, plantas e flores semanais”, ela conta.

Renata usou móveis bacanas e peças decorativas para transformar os cômodos sem precisar de uma grande reforma – sua única intervenção mais radical foi a troca do antigo piso que imitava concreto por um modelo vinílico com aspecto de madeira clara. A delicadeza na escolha de cada objeto exposto sobre as mesinhas ou prateleiras mostra o carinho que a moradora tem por seu lar. “Eu só tenho o que me traz alegria. Itens que eu namorei antes, durante e depois, pôsteres comprados em viagens, presentes de pessoas queridas que me conhecem demais e por isso acertam em cheio… tudo isso traduz minha personalidade e torna o apê acolhedor”.

Para driblar empecilhos sem mexer na estrutura, a arquiteta aposta na simplicidade. Um dos exemplos é a iluminação: “O apartamento não tem forro, logo não tive flexibilidade para criar novos pontos de luz. O que eu fiz? Utilizei luminárias de tomada e fugi um pouco dessa iluminação central”, Renata explica. A moradora também colocou a mão na massa em projetinhos faça você mesmo que ajudaram a deixar a decoração ainda mais legal sem que ela gastasse muito, como a parede ‘estampada’ com adesivos de bolinhas douradas ou a geladeira envelopada de adesivo azul.

Segundo a arquiteta, um bom truque na hora de montar os espaços é usar cores simples e mais neutras, como o branco ou o cinza, e depois complementar com objetos coloridos. Ela também acredita que ter uma pasta de referências ou um mood board é uma ótima maneira de entender que estilo usar. Além de realizar projetos do zero, Renata trabalha com produção de ambientes para fotos, por isso já está acostumada a elaborar belas composições – com a ajuda de flores, folhagens, almofadas, mantas e velas, a moradora cria um lar cada vez mais aconchegante.

4 ideias inspiradas no Apto41

* Cozinha aberta: Quando a arquiteta se mudou para o apê o espaço já estava sem paredes e trazia uma bancada alta como divisória, hoje usada de apoio para refeições rápidas. “Já visitei outros apartamentos iguais ao meu aqui no prédio que possuem a cozinha fechada e claro que a sensação é incrivelmente outra. A cozinha aberta continua sendo a melhor saída para driblar pequenos cômodos, além de ser vantajosa pela integração que possibilita”, Renata diz.

* Elementos originais: A maioria das peças usadas na decoração foi cobiçada pela moradora durante muito tempo, como o macaquinho de madeira de Kay Bojesen, apoiado em uma moldura, ou a arte com olhinhos do designer sueco Olle Eksell, que ela ganhou de presente. Aos poucos Renata vai comprando os itens de sua ‘lista de desejos’ – coincidentemente ou não, muitos deles seguem o estilo escandinavo.

* Banco como aparador: “Resolvi usar o banco branco com madeira pinus que fica na parede de bolinhas como aparador. Ali exponho alguns objetos e livros preferidos. Acredito que isso é uma forma original e criativa de dar um uso diferente a um objeto ou mobiliário”. Fica a dica para quem está precisando de uma estante ou apoio temporário.

* Quadros apoiados: Antes de sair furando as paredes, Renata prefere apoiar os quadros e conviver um pouquinho com eles. Assim ela consegue testar todas as possibilidades de composição. “Tenho quadros que já andaram pela casa toda”, ela brinca.

Fotos por Gisele Rampazzo