Legado de família | Capítulo 2

O apartamento integrado e feminino da publicitária Marina

Há alguns anos a jovem publicitária Marina deixou a rotina estressante das agências para contribuir com a empresa do pai, o designer de móveis Fernando Jaeger. Além de ganhar em qualidade de vida – como poder almoçar todos os dias com a família e ter tempo de relaxar ou brincar com os cachorros no jardim – ela acabou treinando ainda mais o seu olhar para a decoração. Em seu apartamento feminino e colorido no Itaim, as dicas da mãe (e arquiteta) Yáskara se mesclam a suas escolhas pessoais. Leia também o Capítulo 1 para acompanhar o começo da história.

Uma das sugestões mais ousadas de Yáskara foi o tom dos gabinetes da cozinha integrada: amarelo vibrante. É que Marina nunca gostou muito dessa cor, porém ela confiou na opinião da mãe e foi em frente. E não é que o acabamento combinou perfeitamente com a tinta de lousa e a bancada de cimento queimado? Para variar o cenário, basta apagar os desenhos de giz e começar tudo de novo – assim fica difícil enjoar. Prático e divertido, o espaço logo se transformou no local preferido dos amigos para encontros acompanhados de comidinhas preparadas em conjunto e longos bate-papos. A ausência de paredes permite a interação constante entre todos e garante que a iluminação natural se espalhe sem nenhum bloqueio.

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-25-jaeger

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-26

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-27

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-29

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-30

Se fosse preciso escolher algum detalhe do apê que traga mais orgulho, a moradora teria dois candidatos. Ambos são móveis desenhados por seu pai especialmente para ela, mas que depois foram inseridos na linha de produtos da marca de Fernando. O primeiro é a Vitrine Loft, uma espécie de cristaleira contemporânea que preenche um dos cantos da sala de jantar – ali Marina expõe suas louças favoritas, além de uma gaiola vazia e um arranjo de plantas. Já a segunda peça fica em um dormitório que foi transformado em closet e, apesar de ser uma escrivaninha, é usada como penteadeira, pois possui uma gaveta compartimentada que é perfeita para acomodar maquiagens e acessórios.

A princípio esse quarto extra serviria para acomodar eventuais hóspedes, porém Marina percebeu que essa seria sua primeira (e talvez única) chance de montar um ambiente exclusivamente para se arrumar e organizar roupas, perfumes, relógios… Afinal, morar sozinha tinha que ter suas vantagens, não? Como não poderia deixar de ser, a decoração do cômodo tem uma aura delicada e acolhedora, mérito do papel de parede com estampa de pássaros e das almofadas em tons suaves. No quesito praticidade, o armário com largas portas de correr permite que ela enxergue diversas roupas ao mesmo tempo e ainda poupa centímetros na passagem.

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-31

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-32

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-33

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-34

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-35

O quarto da moradora também tem um guarda-roupa desenhado sob medida, mas nesse caso os protagonistas são os outros elementos do espaço, como o papel de parede floral que atrai imediatamente o olhar, a cama com cabeceira ripada ou o tapete de bolinhas felpudas. Quando o apartamento foi comprado, os revestimentos de madeira dos dormitórios eram escuros e isso passava a impressão de que o ambiente era menor, por isso Marina encarou uma pequena reforma para trocar o assoalho por uma versão mais leve. Além do mais, com janelas de ponta a ponta e a luz do sol sempre presente, seria um desperdício não valorizar a claridade.

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-36

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-37

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-38

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-39

decoracao-historiasdecasa-apartamentocolorido-40

Desde que se mudou e começou a montar o próprio lar, Marina está sempre em busca de itens interessantes que possam complementar esse pequeno universo. Suas viagens rendem muitos achados, mas não são sua única fonte de inspiração – independentemente da origem do objeto, o que vale mais é que ele fale ao coração. Aliás, essa parte de escolher cada detalhe da casa é uma das preferidas da moradora: “É muito bom ter um canto com a sua cara, é gratificante chegar a um lugar em que você se sinta bem e que tenha o seu jeito. Para se ter um lar, é preciso ter coisas que contem sua história – presentes, lembranças, gostos… Só assim a casa tem vida”.

Fotos por Luiza Florenzano

Adoramos seus comentários! ❤️ Conte pra gente o que achou:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


COMENTÁRIOS # 16

  1. Adorei essa baleia de aramado metálico que serve de centro de mesa e fruteira!! Sabem onde consigo achar?

    Responder
  2. Parabéns pelo artigo, moro na praia e tenho uma mesa Saturno do Fernando na varanda qual modelo de cadeira vcs sugerem, sem ficar mto sério o ambiente? Obrigada

    Responder
    • Oi Perla, tudo bom?
      Que bom que curtiu essa matéria. Amamos a casa da Marina!
      Como você comentou que sua mesa fica na varanda, nossa dica é usar cadeiras mais descontraídas e não estofadas, pois resistem melhor ao clima ou à exposição ao sol. Já que você gosta do estilo do Fernando Jaeger, sugerimos 2 modelos dele que você pode gostar: a cadeira Deliciosa ou a cadeira Spaghetti – ambas são lindas e com clima de área externa. Beijos!

      Responder
  3. Muito linda a mesa de jantar! Onde foi comprada?
    Até mais.

    Responder
  4. Que lindos papéis de parede, floral e de passarinho! Onde encontro?

    Responder
  5. Olá,

    Poderia informar quem fez a marcenaria da cozinha?

    Obrigada,

    Mariana

    Responder
    • Oi Mariana, tudo bom?
      Infelizmente não temos essa informação, mas se a gente conseguir, te avisamos ok? Beijos!
      🙂

      Responder
  6. Sabe me dizer onde encontro esses bancos amarelos da cozinha? 🙂

    Responder
  7. Que apê maravilhoso, super bem decorado. Quero um assim!!!
    Parabéns!!!

    Responder
  8. Linda residência! Apenas uma dica pra quem escreve: o texto e as imagens devem ser coesos; acima é mencionado uma escrivaninha que serve de penteadeira, mas não há foto que a mostre. Enfim, só uma dica pra aumentar a legibilidade.

    Responder
    • Oi Larissa! Obrigada.
      Na verdade no dia das fotos não conseguimos fotografar a escrivaninha, mas de qualquer forma quisemos mantê-la no texto por ser relevante na história.
      Beijos

      Responder